Margarida Tavares e Ricardo Mestre são os novos secretários de Estado na Saúde 515

O primeiro-ministro propôs esta quinta-feira ao Presidente da República a nomeação de Ricardo Mestre para o cargo de secretário de Estado da Saúde e de Margarida Tavares para as funções de secretária de Estado da Promoção da Saúde.

Esta proposta de nomeação foi divulgada na página oficial da Presidência da República na Internet.

“O Presidente da República aceitou a proposta do primeiro-ministro de nomeação de três novos secretários de Estado, aos quais conferirá posse sexta-feira, pelas 19h30, no Palácio de Belém”, lê-se na nota.

Tal como a anterior equipa de Marta Temido, também o novo ministro da Saúde, Manuel Pizarro, terá consigo dois secretários de Estado, que vão substituir os deputados do PS António Lacerda Sales e Fátima Fonseca.

Ricardo Mestre, natural de Serpa, é subdiretor-geral da Direção-Geral da Saúde desde junho deste ano, sendo licenciado em economia, pelo Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa em 2001.

Manuel Pizarro substitui Marta Temido como ministro da Saúde

De acordo com a nota curricular divulgada pelo Governo, Ricardo Mestre é especialista em administração hospitalar e pós-graduado em administração de serviços de saúde.

Entre outras funções, foi gestor de projeto no Conselho das Finanças Publicas na área da saúde e do Setor Público Empresarial entre março 2021 e junho 2022, e vogal executivo do conselho diretivo da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) entre março de 2016 e março de 2021.

Margarida Tavares, natural de Vale de Cambra, é coordenadora da Unidade de Doenças Infeciosas Emergentes do Centro Hospitalar Universitário de São Soão (CHUSJ).

Licenciada em medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e mestre em Saúde Pública pela École de Santé Publique Institut Pasteur em Paris, Margarida Tavares é assistente graduada de infeciologia do Serviço de Doenças Infeciosas CHUSJ.

Membro do Conselho Nacional de Saúde Pública desde 2020, é também diretora do Programa Prioritário para a área das Infeções Sexualmente Transmissíveis e Infeção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana desde 2021.

Docente e regente da Unidade Curricular Controlo das Doenças Transmissíveis do Mestrado de Saúde Pública da Universidade do Porto de 2018 a 2022 e investigadora do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto são outras funções destacadas pelo executivo no currículo de Margarida Tavares.

O novo ministro da Saúde, Manuel Pizarro, médico, especialista em medicina interna, foi empossado no cargo no passado sábado, substituindo Marta Temido, que se demitiu destas funções em 30 de agosto.

Após ser empossado pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o ex-eurodeputado socialista assumiu que terá um “desafio muito exigente” e que o enfrentará “com muita determinação, com muita vontade de trabalhar em prol da saúde dos portugueses e em prol do Serviço Nacional de Saúde”.

Interrogado se está confortável com o novo Estatuto do SNS, Manuel Pizarro respondeu: “Se não me sentisse confortável não poderia tomar hoje posse neste lugar”.

Já a equipa cessante no Ministério das Finanças, a ex-ministra Marta Temido e os ex-secretários de Estado António Lacerda Sales e Fátima Fonseca, retomaram na quarta-feira funções como deputados do PS na Assembleia da República.

Devido a esta retoma dos três antigos governantes, deixam a bancada do PS as deputadas Alexandra Tavares Moura, Cláudia Avelar Santos e Rosa Isabel Cruz.

Nas últimas eleições legislativas, Marta Temido e Lacerda Sales foram cabeças de lista do PS, respetivamente pelos círculos eleitorais de Coimbra e Leiria. Já Fátima Fonseca foi eleita pelo círculo de Lisboa no 16.º lugar.

WordPress Ads
Envie este conteúdo a outra pessoa