FCNAUP lança discussão sobre desafios éticos na Nutrição 509

O mundo onde os nutricionistas atuam está em mudança rápida. Com uma atividade multidisciplinar que influencia a produção e o consumo alimentar, áreas onde coexistem interesses económicos muito fortes, torna-se fundamental fazer uma reflexão ética e deontológica constante sobre a profissão.

Na sequência da criação da Comissão de Ética da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP), a Universidade lançou a discussão sobre alguns temas éticos que serão centrais no futuro no site “Pensar Nutrição – Combater a Desinformação”.

Entre os problemas atuais na área de atuação dos nutricionistas que merecem uma reflexão ética, Pedro Graça, diretor da FCNAUP, e Maria João Gregório, professora na instituição, destacam a atualização dos conhecimentos face à rapidez atual da evolução científica nesta área, que regista uma evolução técnica e científica quase diária.

Também o aparecimento da sociedade de informação e a possibilidade de cada cidadão se tornar um ator mediático na arena da informação nutricional e alimentar global vieram colocar sérios desafios à profissão. De acordo com os especialistas, o nutricionista, enquanto produtor e divulgador de informação científica com capacidade aumentada de acesso às redes globais, representa uma enorme oportunidade e, ao mesmo tempo um desafio para a reputação da classe.

Para além destes, os nutricionistas deparam-se igualmente com conflitos de interesses com a indústria alimentar – que podem ir para além das questões comunicacionais -, a delicada questão do financiamento das instituições de ensino e investigação, e o conflito entre a promoção do bem-estar nutricional e a defesa do bem-estar do planeta, sendo que nem sempre será possível conciliar a visão ambiental e nutricional.

Envie este conteúdo a outra pessoa