Pessoas com obesidade percecionam o sabor doce com maior intensidade 1448

Será que as pessoas com obesidade sentem o sabor doce de forma diferente das pessoas normoponderais? Esta foi a questão de partida para o estudo recentemente publicado na Frontiers in Nutrition: as pessoas com obesidade classificavam o sabor doce de forma mais intensa do que controlos sem obesidade.

Este estudo, desenvolvido na Unidade de Neuropsiquiatria do Centro Clínico e de Investigação da Fundação Champalimaud em Lisboa envolveu mais de 400 pessoas, das quais pouco mais de metade eram pessoas com obesidade grave e as restantes, voluntários saudáveis. O grupo de pessoas com obesidade incluiu candidatos a cirurgia bariátrica no Hospital do Espírito Santo de Évora, no Hospital de São Bernardo, em Setúbal, e no Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto. Também foram incluídos participantes do programa de televisão Peso Pesado, antes da intervenção de estilo de vida para perda de peso.

As pessoas com e sem obesidade foram comparadas em relação a respostas psicofísicas aos sabores básicos (incluindo o sabor doce) e a características comportamentais, o que incluiu questionários de recompensa alimentar. A avaliação gustativa foi realizada com tiras de papel de filtro com cada um dos sabores em teste impregnados (ex., sacarose para o sabor doce). As tiras eram colocadas na língua dos participantes, de forma a desencadear a resposta gustativa, ao que se seguiam várias perguntas sobre cada um dos estímulos. Foram analisados o tipo de sabor, a intensidade e a agradabilidade. Adicionalmente, avaliou-se o limiar de deteção de sabor através de electrogustometria, um teste que consiste em fazer passar uma corrente elétrica muito baixa pela língua dos participantes até que os mesmos detetem um estímulo gustativo.

A principal conclusão que se obteve é que as pessoas com obesidade classificavam as sensações de sabor doce de forma mais intensa do que os indivíduos saudáveis. Quanto à agradabilidade (“liking” ou “gostar”) do sabor doce, não foram encontradas diferenças entre as pessoas com e sem obesidade. Este resultado é também interessante tendo em conta que classicamente a reação hedónica a sabores agradáveis (como o sabor doce) é uma variável ligada à recompensa alimentar, o que poderia significar que as pessoas com obesidade obesas pudessem considerar o sabor doce como mais agradável, o que não se verificou.

Quanto aos possíveis mecanismos que explicam porque pessoas com obesidade percecionam o sabor doce como mais intenso, poderão incluir alterações ou a adaptações cerebrais ou periféricas à exposição crónica a um balanço energético positivo crónico. Outra hipótese é que as alterações sensoriais possam ser o reflexo de mecanismos fisiológicos associados à aquisição de preferências alimentares por açúcares e outros hidratos de carbono, tais como mecanismos pós-ingestivos.

Os resultados deste estudo estabelecem um ponto de partida para que estudos futuros explorem que mecanismos biológicos poderão estar na base das diferenças entre grupos e se os mesmos podem ser modulados para o tratamento da obesidade. Em um artigo prévio, o mesmo grupo de investigação demonstrou que entre doentes com obesidade candidatos a cirurgia bariátrica (bypass gástrico ou sleeve gástrico), aqueles que com uma perceção da intensidade do sabor mais elevada no pré-operatório perdiam mais peso após cirurgia. Para além disto, os doentes com maiores reduções de intensidade do sabor doce após a cirurgia também foram os que perderam mais peso. Estes resultados sugerem assim que os mecanismos biológicos subjacentes à perceção do sabor doce podem ser modulados, neste caso por uma intervenção cirúrgica para o tratamento da obesidade, reforçando o contributo científico global deste trabalho.

Gabriela Ribeiro, MSc, PhD
Professora Auxiliar Convidada
Nutrição e Metabolismo
Nova Medical School I Faculdade de Ciências Médicas, UNL
Nutricionista Especialista em Nutrição Clínica (1738N)

Referências:

Ribeiro G, Torres S, Fernandes AB, Camacho M, Branco TL, Martins SS, Raimundo A, Oliveira-Maia AJ; Food Reward in Bariatric Surgery Portuguese Study Group. Enhanced sweet taste perception in obesity: Joint analysis of gustatory data from multiple studies. Front Nutr. 2022 Dec 20;9:1028261. doi: 10.3389/fnut.2022.1028261. PMID: 36606228; PMCID: PMC9807659.

Ribeiro G, Camacho M, Fernandes AB, Cotovio G, Torres S, Oliveira-Maia AJ. Reward-related gustatory and psychometric predictors of weight loss following bariatric surgery: a multicenter cohort study. Am J Clin Nutr. 2021 Mar 11;113(3):751-761. doi: 10.1093/ajcn/nqaa349. PMID: 33558894; PMCID: PMC7948842.

 

 

Envie este conteúdo a outra pessoa