Liga Portuguesa Contra o Cancro quer identificar risco nutricional em doentes oncológicos 808

Com 20 a 70% dos doentes oncológicos a sofrer de malnutrição com perda de peso, a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), em parceria com Fortimel, uma marca da Danone Nutricia, vão ajudar a identificar o risco nutricional destes pacientes. O projeto decorrerá em julho de 2024, em mais de 50 núcleos da LPCC em todo o país, onde nutricionistas realizarão avaliações do risco nutricional.

“O estado nutricional dos doentes oncológicos pode impactar significativamente a evolução da doença. Reconhecendo a importância de uma boa nutrição para que os doentes oncológicos tolerem melhor e respondam mais eficazmente aos tratamentos, a LPCC e a Fortimel  uniram-se para identificar o risco nutricional em doentes oncológicos”, informam as duas entidades em comunicado. Durante o mês de julho, serão promovidas ações de identificação do risco nutricional a nível nacional, abrangendo o território de norte a sul, ilhas e também em formato online.

“Para obtermos uma visão geral sobre o estado nutricional dos doentes oncológicos em todo o país, a LPCC, com o apoio do Fortimel, promoverá consultas gratuitas de identificação do risco nutricional em cerca de 30 localidades, destinadas a doentes oncológicos em fase ativa ou sobreviventes até cinco anos. Numa segunda fase, poderão ser realizadas consultas online”, explica Natália Amaral, Ginecologista com subespecialidade em Oncologia e coordenadora nacional do Apoio Social da LPCC.

Para a Danone Nutricia, sublinha Paulo Maçãs Santos, diretor da empresa, “é um orgulho fazer parte desta iniciativa que chega como mais uma forma de concretizarmos o nosso compromisso com a sociedade portuguesa. É importante para nós sabermos que conseguimos fazer a diferença, apoiando a identificação do risco de malnutrição em doentes oncológicos para que estes possam ter uma qualidade de vida aumentada, a partir desta identificação. Estamos orgulhosos e com esperança de que esta iniciativa seja um sucesso”, aponta o responsável.

Reiterando que “um bom estado nutricional dos doentes oncológicos é essencial para tolerar os tratamentos”, o que justifica a importância da “sensibilização e avaliação do estado nutricional destes doentes o mais precocemente possível”, Paulo Maçãs Santos lembra que “a marca acredita no poder da nutrição clínica na gestão nutricional de algumas patologias. A Nutricia tem um papel fundamental na promoção da saúde e qualidade de vida das pessoas. Com mais de um século de investigação em nutrição, a Nutricia continua a transformar vidas através do poder da nutrição”.

Natália Amaral acrescenta ainda: “Sabemos que a malnutrição pode afetar 20 a 70% das pessoas com cancro, dependendo do tipo de tumor, idade e doença. Durante toda a jornada da doença, é crucial que o doente esteja bem nutrido, procurando sempre a ajuda da sua equipa de saúde quando necessário”.

As avaliações nutricionais dirigidas aos doentes oncológicos, de carácter individualizado, serão concretizadas por nutricionistas qualificados, tendo cada avaliação uma duração média de 30 minutos. Esta avaliação consistirá em:

  1. Medição do peso corporal, através de uma balança para o efeito. Nas ações em regime online, este peso corporal será reportado pelo doente oncológico;
  2. Aplicação de uma ferramenta de identificação do risco nutricional;
  3. Realização de um breve aconselhamento nutricional generalizado, nos casos em que seja identificada a presença de risco de desnutrição, com o intuito de potenciar um enriquecimento nutricional da dieta do doente oncológico; 4. Referenciação dos casos de desnutrição à equipa multidisciplinar que acompanha o doente oncológico (em contexto hospitalar ou cuidados de saúde primários).

A avaliação nutricional é gratuita, mas é necessária inscrição prévia online, selecionando o local, dia e hora desejados para a consulta. O formulário de inscrição está disponível aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa