Start up da FCNAUP criou snacks de leguminosas 670

Uma start up nascida na Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP) desenvolveu um snack composto por mais de 50% de leguminosas.

A empresa de base tecnológica em fase de desenvolvimento chama-se Snood Foods e foi criada com o propósito de “aumentar o consumo de leguminosas” na alimentação dos portugueses.

A ideia surgiu em 2017, no Ano Internacional das Leguminosas quando quatro investigadores da FCNAUP — Márcia Gonçalves, Gonçalo Barreto dos Santos, Débora Teixeira e Duarte Torres — desenvolveram o Bean’Go. Alexandre Santos, juntou-se mais tarde para tornar o projecto comerciável e foi criada a Snood Foods.

A ideia principal era “criar um produto que fosse conveniente e que as pessoas pudessem consumir em qualquer momento do dia”, explicou Alexandre Santos, diretor da empresa, em declarações ao “Público”.

Este é “um produto natural, extremamente saudável e muito saboroso” que pretende “incentivar a população portuguesa a consumir mais estes alimentos”.

Os snacks têm “duas vezes mais proteína do que os outros do mercado”, não têm glúten, contém azeite, farinha de arroz, pós de fruta e especiarias, como manga, tomate e orégão e são feitos no forno.

De momento há duas opções diferentes: um de ervilhas e outro de grão-de-bico.

O objetivo agora é fazer snacks de outras leguminosas, como de feijão vermelho, feijão preto e lentilhas, para além de “tornar o produto mais divertido para as crianças” e explorar outros formatos.

“Queremos tentar fazer produtos de outros formatos, nomeadamente, de 50 ou 100 gramas. Assim como também queremos chegar a outros mercados a nível nacional e internacional, uma vez que algumas distribuidoras belgas e espanholas já demonstraram interesse em vender o nosso produto”, concluiu Alexandre Santos, ao “Público”.

O produto já está a ser comercializado e a ser vendido em mais de 50 lojas.

Envie este conteúdo a outra pessoa