Seguir uma dieta de origem vegetal reduz o risco de doenças cardíacas 586

De acordo com um estudo realizado pela American Heart Association (AHA), seguir uma dieta alimentar nutritiva e de origem vegetal resulta numa vida mais saudável e com menor risco de doenças cardíacas.

Este estudo, denominado por “Plant‐Centered Diet and Risk of Incident Cardiovascular Disease During Young to Middle Adulthood“, foi desenvolvido durante mais de 30 anos pela AHA.

A investigação analisou o impacto do consumo de uma dieta de origem vegetal e de uma mudança para esta dieta na idade adulta jovem, e a sua influência no risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

Para isso, examinaram a dieta e a ocorrência de doenças cardíacas em 4.946 adultos entre os 18 e os 30 anos, que tinham esta idade no ano em que se inscreveram. Entre 1987 e 2016, foram realizados um total de oito exames de acompanhamento, e a avaliação decorreu até 2018.

A qualidade das dietas dos participantes foi avaliada com base no Índice de Qualidade da Dieta a Priori (APDQS) composto por 46 grupos de alimentos. Os alimentos foram classificados de acordo com a sua associação a doenças cardiovasculares, tendo cada um uma pontuação distinta (mais positiva ou negativa).

Os resultados mostraram que ao seguir uma dieta de origem vegetal, os participantes jovens adultos tiveram menos ataques cardíacos e reduziram o risco de desenvolver doenças cardiovasculares na meia-idade.

Os 289 participantes no estudo, que demorou 32 anos, desenvolveram doenças cardiovasculares. Já os participantes que tiveram melhor pontuação relativamente à qualidade da sua dieta a longo prazo, tiveram 52% menos probabilidade de desenvolver estas doenças. Os participantes que melhoraram a qualidade da sua dieta, tiveram uma menor probabilidade (61%), de desenvolver este tipo de doenças.

Pode consultar o estudo aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa