Leiria participa em projeto para capacitar adolescentes contra a obesidade 260


31 de agosto de 2017

O Município de Leiria vai participar no projeto “TeenPower: e-Capacitar os Adolescentes para a Obesidade”, que é liderado pelo Instituto Politécnico de Leiria em parceria com os Politécnicos de Castelo Branco e Santarém.

De acordo com um documento que foi dado a conhecer na última reunião de executivo, trata-se de um projeto transdisciplinar de «investigação-ação baseada na prática», que prevê o desenvolvimento de intervenções inovadoras de promoção de comportamentos saudáveis.

Esta foi uma necessidade territorial «identificada e discutida» com os profissionais de saúde e comunidade escolar, que detetaram a falta de «uma estratégia integrada, criativa e dinâmica de prevenção da obesidade e promoção de comportamentos salutogénicos nos adolescentes».

«Atendendo à experiência da equipa de investigação no desenvolvimento de produtos inovadores e soluções tecnológicas aplicadas aos cuidados de saúde, esta necessidade foi assumida como uma oportunidade de trabalhar em rede e aproveitar sinergias entre parceiros da região», refere o documento aprovado pela autarquia.

Os politécnicos de Leiria, Santarém e Castelo Branco serão copromotores deste projeto, com a participação do Município de Leiria, e está prevista a parceria com a Administração Regional de Saúde do Centro, «parceiros fundamentais tanto na fase de desenvolvimento como na implementação do programa de intervenção».

O projeto inclui a realização de três estudos complementares: análise dos determinantes da saúde dos adolescentes, avaliação da usabilidade do programa de intervenção TeenPower, implementação e avaliação da adesão ao programa TeenPower.

O objetivo principal do projeto consiste no desenvolvimento, implementação e avaliação de um programa de promoção de comportamentos saudáveis e prevenção de obesidade na adolescência, baseado na e-terapia e assente na metodologia de gestão de caso.

O Município de Leiria refere ainda que o projeto visa o empowerment cognitivo-comportamental dos adolescentes, através do contacto aumentado e interativo entre adolescente e equipa de saúde multidisciplinar, avançou a “Lusa”.

Envie este conteúdo a outra pessoa