Estudo: Dieta com menos calorias pode prolongar a vida 417

Segundo um estudo denominado por “Caloric Restriction Reprograms the Single-Cell Transcriptional Landscape of Rattus Norvegicus Aging”, publicado revista Cell, uma dieta restrita em calorias impede os efeitos negativos do envelhecimento nas células.

Os cientistas, através de experiências com ratos, estudaram de que forma a restrição calórica impede os efeitos negativos do envelhecimento nas células. Para esse efeito, as dietas dos animais foram controladas entre 18 a 27 meses.

Neste estudo, as células individuais da maioria dos órgãos e tecidos dos ratos foram analisadas em diferentes momentos da sua vida e mediante vários regimes de ingestão calórica.

Ao todo, a equipa isolou e analisou um total de 168.703 células de 40 tipos em 56 ratos, provenientes de tecidos gordurosos, fígado, rim, aorta, pele, medula óssea, cérebro e músculos.

Em cada célula isolada, através da tecnologia de sequenciamento genético unicelular, os cientistas mediram os níveis de atividade genética e compararam animais velhos e jovens em cada dieta. Depois dessas análises, chegaram à conclusão que muitas das alterações que ocorreram nos ratos que ingeriam uma dieta normal à medida que envelheciam, não ocorreram nos roedores com dieta restrita.

Aliás, 57% das alterações na composição dos tecidos dos ratos que seguiram uma dieta normal não foram observadas naqueles que ingeriram menos calorias.

De acordo com o indicado no estudo, algumas das células e genes mais afetados pela dieta estão relacionados à imunidade, inflamação e metabolismo lipídico.

O trabalho mostra que o envelhecimento é um processo que pode ser modulado e que certas alterações celulares e moleculares que levam à aceleração podem ser alteradas, neste caso com restrição calórica.

Pode consultar o estudo aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa