UC com projeto de refeições à base de macroalgas da costa portuguesa 588

O Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) da Universidade de Coimbra (UC), lançou o projeto “MENU: Marine Macroalgae: alternative recipes for a daily nutritional diet”, coordenado pela investigadora Ana Marta Gonçalves, com refeições nutritivas e de fácil confeção à base de macroalgas da costa portuguesa.

A novidade deste projeto está na utilização completa das macroalgas marinhas e não apenas extratos ou compostos. O objetivo é aproveitar todas as propriedades destas verduras do mar, conhecidas pelas suas propriedades antivirais, antibacterianas, antidiabéticas, antioxidantes e anticancerígenas, entre outras.

“Recolhemos no mar amostras das espécies de macroalgas comestíveis pré-selecionadas (castanhas, verdes e vermelhas), que são colocadas a crescer em laboratório e transferidas depois para tanques de aquacultura até obter a biomassa necessária para a confeção dos alimentos.”, explicou em comunicado, Ana Marta Gonçalves.

Este projeto apresenta um leque variado de refeições pré-cozinhadas doces e salgadas, com elevado valor nutricional e de rápida confeção, oferecendo aos consumidores uma dieta rica e saudável.

Já foram desenvolvidas várias receitas, tais como arroz com algas, frango com algas, sopas e molhos adicionais, gelatinas de framboesa e morango, pudins de vários sabores (amêndoa, baunilha, chocolate e coco), compotas e arroz doce. Outros produtos estão ainda em fase de desenvolvimento, como, por exemplo, mousses.

“Pretendemos oferecer um cardápio diversificado que vá ao encontro dos diferentes interesses dos consumidores. Desenvolvemos várias receitas com diferentes macroalgas”, explicou Ana Marta Gonçalves, adiantando que estão também a desenvolver películas naturais à base de macroalgas com o objetivo de “aumentar o tempo de prateleira no supermercado de alimentos como carne, peixe e fruta, que podem ser consumidas diretamente junto com o produto que estão a revestir”.

O MARE espera ter os primeiros produtos no mercado dentro de um ano.

Esta projeto, iniciado em 2019, é financiado pelo Fundo Azul (mecanismo de incentivo financeiro da Direção-Geral de Política do Mar destinado a apoiar a investigação científica), e tem como parceiros a Universidade de Aveiro (UA), a Startup Lusalgae (especializada em biotecnologia marinha), e a Ernesto Morgado, S.A. (indústria de arroz em Portugal).

O MENU pretende dar resposta aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, contribuindo para a produção e consumo de produtos sustentáveis e melhoria da nutrição, assim como da conservação e sustentabilidade dos oceanos e dos recursos marinhos.

WordPress Ads
Envie este conteúdo a outra pessoa