Estudo: Dieta vegetariana pode reduzir risco de AVC 360

Um estudo publicado na Neurology, de investigadores da Universidade Tzu Chi em Hualien, Taiwan, indica que as pessoas cujas dietas consistem principalmente em frutos secos, vegetais e soja podem ter um risco menor de derrame cerebral do que aquelas que comem carne ou peixe.

Esta investigação incidiu na análise de dois grupos de pessoas que viviam em colónias budistas de Taiwan.

Um grupo, com 5.050 pessoas foi seguido durante seis anos, enquanto o segundo grupo, com 8.302 pessoas, foi seguido durante nove anos.

No primeiro grupo, com um total de 5.050 participantes, em que 1.424 eram vegetarianos e 3.626 eram não vegetarianos, os vegetarianos sofreram apenas três acidentes isquémicos, enquanto que os não vegetarianos tiveram 28 acidentes vasculares cerebrais registados. Depois de analisarem várias outras condições de saúde (idade, sexo, hábitos de fumar, etc.), os investigadores concluíram que os vegetarianos neste grupo tinham 74% menos probabilidade de sofrer um derrame.

No segundo grupo de participantes, com 5.583 não vegetarianos e 2.719 vegetarianos, ocorreram 121 acidentes vasculares cerebrais. Os vegetarianos sofreram 24, enquanto que os não vegetarianos os 97 restantes. Os cientistas concluíram que os vegetarianos tinham 48% menos probabilidade de sofrer um AVC (risco 60% menor de AVC isquémico, risco 65% menor de AVC hemorrágico).

Esta análise, assim como as pesquisas dietéticas preliminares e exames médicos realizados no início do estudo, revelaram que os participantes vegetarianos normalmente comiam mais frutos secos, vegetais e soja, bem como menos laticínios, do que os não vegetarianos. Ambos os grupos comeram quase a mesma quantidade de frutas, mas os vegetarianos comeram mais proteínas e fibras vegetais.

Os investigadores concluíram com este estudo que “a dieta vegetariana taiwanesa está associada a um menor risco de derrames isquémicos e hemorrágicos”.

Pode consultar o estudo aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa