«Em Portugal o nutricionista está muito associado ao emagrecimento» – Magda Roma 0 52

01 de fevereiro de 2019

Magda Roma é nutricionista e, nos últimos anos, tem dedicado a sua atenção aos doentes com cancro, desafiando-os a mudar o seu estilo de vida através da alimentação e da gestão das emoções.

 

Numa entrevista ao jornal “Público”, a nutricionista fala das cinco mudanças que propõe, e que passam pela adoção de uma dieta mais variada e equilibrada, à base sobretudo de alimentos de origem vegetal, mas também pela gestão das emoções, a prática de atividade física e ainda por aprender a respirar e recorrer a terapias complementares.

 

No livro que lançou esta semana, “5 Mudanças: antes, durante e depois do cancro”, fala da dificuldade de aceitação das mudanças alimentares por parte de alguns doentes, porque, segundo a autora, os hábitos alimentares são instituídos desde a infância, e «torna-se muito difícil aceitar que determinado alimento é melhor do que outro». A falta de informação, acesso a alguns alimentos ou a resistência em “abdicar” do que é o prazer da alimentação também são fatores com peso para a resistência em mudar. Deixa ainda a questão de que «Todos sabem comer fruta, cozer leguminosas, temperar uma boa carne ou um bom peixe, porque teriam dificuldade em temperar igualmente os alimentos de base vegetal?»

 

Quando questionada pela fonte sobre a relação entre os médicos e os nutricionistas e remetendo à sua experiência em particular, Magda Roma informa que «em relação ao cancro, são poucos os médicos que me reencaminham doentes, mas quando o paciente partilha com o seu médico que me consultou, aquele reconhece o meu trabalho. No que concerne a outras áreas como as do foro gastrointestinal, vegetarianismo, ginecologia, obstetrícia e pediatria, recebo doentes com muita regularidade».

 

A nutricionista considera uma falha nos cursos de medicina a falta de conhecimentos em nutrição, enquanto reforça o papel do nutricionista nas disfunções dos órgãos, já que tal pode dar-se devido a «excesso ou à deficiência de nutrientes, e esse é o trabalho do nutricionista, nutrir o corpo». Na sua opinião, «em Portugal o nutricionista está muito associado ao emagrecimento», enquanto esclarece que o papel destes profissionais junto dos desportistas tem ganho relevância. No entanto afirma «continuamos a não ter um lugar tão presente ao lado dos médicos para a maioria das patologias» e defende que se houvesse mais conhecimento sobre a nutrição, os médicos «dar-lhe-iam maior importância».

 

Sobre o que se pode comer “com segurança”, Magda Roma remete para as orientações de entidades internacionais sobre a alimentação de base vegetal e levanta a questão dos agro-tóxicos e dos organismos geneticamente modificados e apela ao consumo de produtos de origem biológica certificada, «que nos garante ter menor ou nula concentração de compostos químicos», mas para quem não os possa obter, indica que deve manter a base vegetal de igual forma. 

Em 2014, Magda Roma também escreveu o livro “A Dieta Anticancro: um plano de nutrição infalível para viver mais e melhor”. A autora estudou, online, alimentação de base vegetal na Universidade de Cornell e no Vegetarian Health Institute, duas escolas sediadas nos EUA.

 

Anualmente organiza com frequência workshops e showcookings «para ajudar a aumentar a consciência corporal e também a tornar a cozinha divertida, saborosa e saudável», como refere.    

Envie este conteúdo a outra pessoa