Como discutir Nutrição com não-nutricionistas? 2246

Dis-cus-são, nome feminino: 1. Exame de uma questão em que tomam parte várias pessoas. 2. Polémica. 3. Controvérsia. 4. Questão. 5. Desinteligência. Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, 2008-2021.

Geralmente, o termo discussão refere-se a uma troca acesa de palavras, quase sempre associada a confronto e conflito entre partes com opiniões diferentes. Mas discussão é, sobretudo, a troca de ideias e a análise de argumentos sobre determinado tema, por parte de diferentes intervenientes. Por essa razão, tendo a considerar a discussão como algo positivo, construtivo. Ainda assim, para que a discussão seja produtiva para todas as partes, é importante haver algum equilíbrio nos aportes que cada interveniente pode dar, e sensibilidade relativamente às respetivas limitações. Por exemplo, o meu contributo numa discussão sobre astrofísica ou arte renascentista seria sempre muito limitado…

Vem isto a propósito da tendência de muitas pessoas sem qualquer formação na área da nutrição para “discutir” temas complexos e que exigem conhecimentos específicos. Estou num almoço e se alguém diz que dispensa os ovos mexidos de entrada porque tem o colesterol elevado, logo aparece um “perito” a dizer que “isso de os ovos aumentarem o colesterol… Eu como dois ovos por dia e nunca tive colesterol!”. E quando alguém me vê a comer torradas ao pequeno-almoço, logo vem o conselho “não devias estar a comer glúten, isso é um veneno!”. De facto, a “democratização” dos temas da nutrição trouxe uma maior preocupação das pessoas com aquilo que comem e isso é positivo. No entanto, uma coisa é opinar sobre alimentação, outra é querer discutir Nutrição. Não sendo, de todo, arrogante, é geralmente difícil (e demorado) explicar corretamente Ciências de Nutrição a alguém que não seja da área. Qualquer nutricionista sabe bem que as perguntas “posso comer ovos se tiver hipercolesterolemia?” ou “devo retirar o glúten da minha alimentação?” têm respostas mais elaboradas que um simples “sim” ou “não”… E é precisamente aqui que reside o problema de discutir nutrição com não-nutricionistas. Na maioria das vezes não podemos simplesmente responder “sim” ou “não”, é “bom” ou “mau”. Há muitas nuances, fatores individuais a ter em conta e um enquadramento geral (do indivíduo e do seu meio) que não pode ser desconsiderado. Responder a tudo isto num almoço de amigos, torna-nos a pessoa mais chata do mundo. Felizmente, há algumas estratégias que podemos adotar!

Se não houver condições para um bom debate, é melhor não o fazer. Há um tempo e espaço para tudo e discutir Nutrição não é exceção. Se não vamos conseguir transmitir a mensagem corretamente, é melhor não aprofundar o assunto. Podemos responder que o assunto é mais complexo do que aparenta e que teremos muito gosto em discuti-lo com tempo, noutro lugar.

Discutir com pessoas que são ativistas de determinadas causas e que as misturam com Ciências da Nutrição é, na maior parte das vezes, tempo perdido. Discutir com um vegan ferrenho o interesse nutricional do leite não o fará mudar de ideias, porque aquilo que o move nada tem a ver com nutrição. Nestes casos é importante alertar para não se misturar causas e ciência, e sugerir um aprofundar de conhecimentos sobre o tema em questão.

Se o interlocutor não tem conhecimentos sobre nutrição, mas é genuinamente interessado no tema, faz sentido reservar algum tempo (e paciência) para lhe explicar o assunto. Há muita gente bem-intencionada, mas mal informada. São pessoas com quem vale a pena falar e transmitir algum conhecimento, de modo que sejam capazes de entender melhor alguns temas concretos e assim, contribuir para divulgar mensagens corretas.

Ser nutricionista é ser um agente de saúde pública, contribuindo para o aumento da literacia em saúde e melhoria da qualidade de vida das pessoas. É uma função nobre e, por isso mesmo, deve ser respeitada pelos outros, mas também por nós próprios. Entrar em querilias de surdos com quem não tem formação na área, não dignifica a profissão e não contribui para a promoção da saúde.

Rodrigo Abreu
Nutricionista – Managing Partner na Rodrigo Abreu & Associados
Fundador do Atelier de Nutrição

 

 

Envie este conteúdo a outra pessoa