Ser Nutricionista não é piada! 1948

Recentemente, num conhecido espetáculo de humor, foram lançadas algumas piadas sobre nutricionistas. Entre graças apelidando os nutricionistas de médicos de 2.ª categoria e algumas colagens a coaches, não deixa de ser curioso notar que uma profissão tão jovem (os nutricionistas existem em Portugal há cerca de 40 anos), tenha já um reconhecimento tão grande na sociedade.

Fazer piadas com nutricionistas só é possível porque a  esmagadora maioria da população sabe o que é um nutricionista e aquilo que faz. Este capital de reconhecimento é importante, mas também acarreta consigo responsabilidades para todos os que exercem a profissão. Quando um nutricionista erra ou tem atitudes menos corretas, todos os nutricionistas são postos em cheque – generalizar é fácil e faz parte da criação de estereótipos. Por isso, o reconhecimento da profissão significa também um maior escrutínio público às práticas e comportamentos de cada um de nós. Trata-se de uma responsabilidade a que não podemos fugir!

Começando pela ideia de que os nutricionistas são uma espécie de “médico menor”, convém ter noção que o então denominado curso de nutricionismo existe em Portugal desde 1975. O surgimento desta área de estudos, separada da Medicina e Enfermagem, justifica-se precisamente pelas especificidades das Ciências da Nutrição, mas também pela evolução da sociedade, no que diz respeito ao aumento das taxas de peso excessivo nos países desenvolvidos.

A obesidade, que antes era abordada como distúrbio hormonal ou metabólico, estava frequentemente no âmbito da Endocrinologia. Sabemos hoje que os casos de excesso de peso ou obesidade causados exclusivamente por fatores endócrinos são apenas uma pequena percentagem. O surgimento dos nutricionistas, com as suas competências específicas que vão além da área da Medicina, foi um marco importante no combate à obesidade, tanto a nível clínico, como no desenvolvimento de políticas de Saúde Pública.

No entanto, não deixa de ser curioso que, embora durante muitos anos tenha havido pessoas a licenciar-se em Nutrição para depois terem acesso a uma carreira na Medicina, hoje se verifique precisamente o contrário: médicos que se interessam pela Nutrição e pretendem exercer nesta área. É, aliás, sobejamente conhecida a pretensão, entre os médicos, de criar uma especialidade em Nutrição Clínica. Se dúvidas houvesse, a Nutrição é uma área de conhecimento de enorme relevância na saúde, bem-estar e performance das pessoas e não um parente pobre da Medicina. Afastemos pois essa ideia de “médicos de 2.ª categoria” e sejamos claros a afirmar a profissão de nutricionista pelo valor que tem!

Naturalmente, o protagonismo da Nutrição desperta atenção e, entre pessoas menos sérias, a ambição de se fazer passar por nutricionista. Entre charlatões e pessoas que genuinamente acham que podem aconselhar estratégias alimentares e nutricionais sem formação adequada e reconhecida, os “coaches” de nutrição/alimentação tornaram-se também figuras conhecidas na sociedade, maioritariamente por maus motivos. Conselhos disparatados e sem fundamento científico, juntamente com discursos caricatos que andam entre a autoajuda e a fanfarronice, criaram uma ideia trágico-cómica de “coach nutricional”, que nada tem a ver com os verdadeiros nutricionistas e coaches.

Há, por isso, uma responsabilidade por parte dos nutricionistas de não se deixarem confundir com este tipo de pessoas. Há espaço para a afirmação dos nutricionistas através de um discurso sério, baseado em evidência e com princípios éticos. Numa época em que tudo parece ditado pelo “sucesso” nas redes sociais, convém que os nutricionistas não repitam erros e falhas de falsos profissionais, mantendo a noção do que podem e não podem comunicar, contribuindo para a dignidade da profissão e de si mesmos.

Voltando ao tal espetáculo de humor: é bom que haja piadas sobre nutricionistas, um sinal da presença destes profissionais na sociedade e vida das pessoas. Triste e lamentável será se deixarmos que os nossos comportamentos transformem a profissão numa piada.

Por Rodrigo Abreu
Nutricionista – Managing Partner na Rodrigo Abreu & Associados
Fundador do Atelier de Nutrição®

Envie este conteúdo a outra pessoa