CNA 2023: Célia Craveiro inaugurou dois dias que “irão influenciar a Nutrição do amanhã” 1227

A XXII edição do Congresso de Nutrição e Alimentação (CNA) e a III edição do Congresso Internacional de Nutrição e Alimentação da Associação Portuguesa de Nutrição (APN) começaram na manhã desta quinta-feira na Alfândega do Porto. São dois dias de atualização científica, análise atual do papel do nutricionista, expositores e networking entre profissionais e Indústria.

“A Comissão Científica teve uma tarefa árdua com foco nas mudanças”, começou por dizer Célia Craveiro, presidente da APN. Na sessão de abertura do CNA 2023, a responsável garantiu que “a Nutrição no mundo requer uma abordagem cada vez mais atual” com soluções inovadoras que passam, nomeadamente, pelo desenvolvimento tecnológico com a Inteligência Artificial a poder ser vista como “uma oportunidade, mais do que uma ameaça”.

Por isso mesmo, a adaptação e atualização científica são, garante, fundamentais. “A nível profissional compete-nos acompanhar as mudanças”, reiterou, para de seguida atestar que esta edição do CNA conta com um “programa de dois dias que muito irão influenciar a Nutrição do amanhã”.

Nuno Borges, presidente da Comissão Científica do CNA, referiu que “os desafios são sempre importantes porque a Nutrição é uma ciência em evolução permanente” e que “o conhecimento muda muitas vezes de forma inesperada e abrupta”, pelo que são as bases científicas o maior garante de uma boa prestação de serviços aos pacientes de Nutrição.

o secretário de Estado da Agricultura, Gonçalo Rodrigues, abordou a procura por uma alimentação mais sustentável e saudável. “Eventos como este servem para estruturar a forma como pensamos e de que forma o transmitimos para a população”, afirmou, para instar os presentes a salvaguardar a dieta mediterrânica em prol de ganhos alimentares que se mantenham nas gerações futuras.

Envie este conteúdo a outra pessoa