Bacalhau continua a dominar a alimentação dos portugueses 122

Segundo um estudo Painel de Consumo da Kantar, denominado por “Lifestyles“, até ao final de novembro de 2019, 86% dos lares portugueses comprou, pelo menos, uma vez bacalhau.

Este estudo mostrou também que os portugueses realizaram em média cinco compras, uma compra a cada 63 dias, gastaram mais 0,4%, mas compraram menos 4% em volume. Isto em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Em média, o consumo per capita de bacalhau foi de cerca de 4 quilos, isto é a média de 2,6 pessoas por lar segundo o Instituto Nacional de Estatística, sendo que o gasto médio por rondou os 25 euros.

O Bacalhau Seco/Salgado continua a ser o preferido dos consumidores portugueses, mas tem vindo a ceder algum espaço para o bacalhau congelado.

Segundo este estudo, cerca de 60% dos lares portugueses afirma “dar preferência a um produto que ofereça rapidez e facilidade de preparação”, como é o caso do bacalhau congelado.

Esta é uma preferência principalmente dos mais jovens, até 34 anos, com 13% a preferir comprar bacalhau congelado.

Já 30% dos consumidores com mais de 65 anos prefere bacalhau seco/salgado, target que afirma “ter tempo para cozinhar” (cerca de 76%, segundo este estudo).

Comparando com o mesmo período em 2018, o bacalhau congelado tem vindo a ganhar consistentemente novos compradores, com o volume a crescer Em volume cresce 9%, enquanto o bacalhau seco/salgado cai 3%, o que representa também uma redução em compradores.

Dentro do bacalhau seco/salgado, o de origem na Noruega é aquele que se destaca, representando 58% do volume total e estando presente em 59% dos lares compradores do segmento seco, com cerca de 66% dos inquiridos a afirmar estar preocupado com o meio ambiente aquando da sua compra.

No que se refere ao bacalhau seco/salgado, os portugueses preferem o Crescido, com 36%, e absorvendo a maior fatia de volume. Aliás o bacalhau Seco/salgado é a única variedade em crescimento. A exceção é na época natalícia, onde a tradição dita outras tendências e o Especial ganha relevância.

Entre novembro e dezembro, 65% dos lares portugueses compra Bacalhau seco/salgado ou congelado, representando estas vendas cerca de 30% do total volume vendido de bacalhau para dentro do lar num ano, com o bacalhau seco a representar 89%.

Devido à forte ligação dos portugueses com o bacalhau neste período, as promoções não trazem benefício à categoria, com mais de 80% do volume comprado sem ser em promoção.

O gap do volume comprado com promoção, tende a reduzir entre o que é o pico alto, período entre novembro e dezembro, face às promoções entre janeiro e outubro.

No que respeita à forma de o cozinhar, é cozido que o bacalhau é mais apreciado, com 33% das famílias portuguesas a preferirem-no assim, cozinhando-o em média uma vez por semana.

Lembrar que o denominado no passado de “fiel amigo” devido a resistir sem se deteriorar por longos períodos de tempo, é rico em Ómega 3 e Vitaminas A, D e B12, devido aos métodos como é processada a salga, um dos mais antigos métodos de conservação de alimentos. Para além disso, o bacalhau tem o seu conteúdo nutricional mais elevado que o de um peixe fresco.

Envie este conteúdo a outra pessoa