Vinho inibe enzimas-chave do novo coronavírus 1206

Uma nova pesquisa indica que o tanino do vinho é capaz de inibir a atividade de duas enzimas-chave da SARS-CoV-2.

A investigação, denominada por “Tannic acid suppresses SARS-CoV-2 as a dual inhibitor of the viral main protease and the cellular TMPRSS2 protease“, é da autoria de Shao-Chun Wang, Yeh Chen, Yu-Chuan Wang, Wei-Jan Wang, Chia-Shin Yang, Chia-Ling Tsai, Mei-Hui Hou, Hsiao-Fan Chen, Yi-Chun Shen e Mien-Chie Hung, da Universidade de Medicina da China (CMU, na sigla em inglês).

Os taninos têm antioxidantes e eliminadores de radicais livres, que atuam com efeitos antiinflamatórios.

A pesquisa, que tinha como objetivo identificar compostos de origem natural que possam ter um efeito sobre a SARS-CoV-2, mostrou que os taninos são capazes de prevenir a infeção e controlar o crescimento dos vírus.

Segundo a análise feita, é provável que o consumo de alimentos e bebidas com taninos, como é o caso de algumas frutas, como uva e banana, vegetais, chás e o próprio vinho podem contribuir para melhorar a imunidade contra o coronavírus.

Os cientistas indicam que esta descoberta pode levar à criação de um medicamento, no futuro, para o tratamento farmacêutico contra a covid-19.

Pode consultar o estudo aqui.

 

Envie este conteúdo a outra pessoa