Uma em cada três crianças com menos de 5 anos sofre de desnutrição ou excesso de peso 0 343

De acordo com um relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), pelo menos uma em cada três crianças com menos de 5 anos, no mundo, sofre de desnutrição ou excesso de peso.

A UNICEF alerta para o facto de que milhões de crianças estão a comer pouca da comida de que necessitam e demasiada daquela de que não precisam.

Esta situação faz com que as crianças corram o risco de desenvolvimento cerebral fraco, problemas de aprendizagem, imunização e sofram mais infeções e doenças.

O relatório divide os problemas de desnutrição em três tipos: crianças desnutridas, fome invisível causada pela falta de nutrientes essenciais, e excesso de peso.

A malnutrição resulta não só de falta de alimentação mas também do excesso de alimentos que não são saudáveis.

De acordo com dados da UNICEF, 149 milhões de crianças com menos de 5 anos são muito baixas para a idade que têm, como resultado de má alimentação, enquanto 50 milhões são muito magras. Para além disso, cerca de 340 milhões sofrem de deficiências de vitaminas e nutrientes essenciais, como vitamina A ou ferro, e 40 milhões sofrem de sobrepeso ou obesidade.

O relatório indica que os problemas começam nos primeiros meses de vida, pois apenas dois em cada cinco bebés com menos de seis meses alimentam-se exclusivamente de leite materno, conforme recomendado por especialistas.

Dos 6 meses a dois anos, 44% das crianças não comem frutas ou vegetais e 59% não comem ovos, laticínios, peixe ou carne.

No caso de crianças em idade escolar, o relatório alerta sobre o abuso de alimentos ultraprocessados, refrigerantes e fast food.

Outra situação que o relatório refere são as famílias com menos recursos, que tendem a alimentar os seus filhos com alimentos de menor qualidade, cujo custo é cada vez menor, em contraste com o aumento dos preços de produtos saudáveis.

Envie este conteúdo a outra pessoa