“Safe2Eat”: Portugal junta-se à EFSA para promover a segurança alimentar na União Europeia 1083

A iniciativa “Safe2Eat”, da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA), junta 16 países da União Europeia (entre os quais Portugal) e a Macedónia do Norte com o objetivo de promover a segurança alimentar.

Ao capacitar os consumidores para escolhas alimentares seguras com confiança, o projeto representa uma nova etapa para a EFSA, que assim altera a sua denominação – chamava-se #EUChooseSafeFood. Este ano, 16 dos 27 países da União Europeia – a que se junta a Macedónia do Norte – aderiram ao desafio. São eles a Roménia, a Chéquia, a Hungria, a Grécia, a Estónia, a Croácia, a Itália, a Letónia, o Chipre, a Eslovénia, a Espanha, a Áustria, o Luxemburgo, a Eslováquia, a Polónia e Portugal, através da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica.

Apesar de 70% dos europeus expressarem o seu interesse no que diz respeito à segurança alimentar, demonstra um estudo da EFSA e a IPSOS, a verdade é que 60% considera a informação alimentar demasiado técnica e difícil de entender. Neste cenário, a nova edição do projeto quer comunicar a ciência por detrás do que comemos, “de forma clara, precisa, mas reconfortante e compreensível”. Decisões informadas são o a meta para a entidade.

O foco está em educar os cidadãos acerca de vários aspetos da segurança alimentar, tais como as doenças transmitidas por alimentos, técnicas adequadas de manipulação de alimentos, a importância da leitura de rótulos e a promoção de práticas que reduzam o desperdício. A campanha também sublinha “a importância de uma dieta equilibrada, da segurança dos suplementos alimentares e a necessidade de provar cientificamente as alegações de saúde nos produtos alimentares”. Sensibilizar acerca da segurança dos aditivos alimentares, de novos alimentos e da presença de alergénios é ainda necessário.

“Em toda a Europa, os consumidores escolhem todos os dias o que comprar e o que comer, ponderando fatores como custo, sabor, sustentabilidade e origem dos alimentos. Graças aos elevados padrões de segurança alimentar defendidos pela UE, os consumidores podem confiar que tudo o que decidirem comprar e consumir será seguro para comer”, garante o diretor executivo da EFSA. Bernhard Url expica que “a campanha #Safe2EatEU visa precisamente estabelecer a ligação entre a ciência da segurança alimentar e os alimentos que desfrutamos, permitindo que as pessoas façam escolhas informadas e com confiança”.

Saiba mais sobre a iniciativa e conheça os materiais de apoio facultados aos cidadãos aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa