Publicado relatório da reformulação dos alimentos em Portugal entre 2018-2021 635

Foi esta terça-feira, dia 15 de fevereiro, publicado o Relatório do Progresso da Reformulação dos Alimentos em Portugal, entre 2018 a 2021.

Os resultados mostram que, entre 2018 e 2021, verificou-se uma redução global de 11,5% no teor médio de sal e de 11,1% no teor médio de açúcar (g/100 g), nos produtos abrangidos por este compromisso.

Os produtos em questão são as batatas fritas e outros snacks, cereais de pequeno-almoço e pizzas, no que respeita ao sal, e cereais de pequeno-almoço, iogurtes e leites fermentados, leite achocolatado, refrigerantes e néctares, no que concerne ao açúcar.

Estima-se que, no referido período, tenha existido uma redução de cerca de 25,6 toneladas de sal e 6256,1 toneladas de açúcar nos alimentos em questão.

O teor médio de sal dos produtos abrangidos passou de 1,14 g por 100 g em 2018 para 1,01 g por 100 g em 2020. Já o teor médio de açúcar passou de 7,46 g por 100 g para 6,36 g por 100 g.

Relativamente ao teor de açúcar, três das categorias abrangidas neste acordo (refrigerantes, leite achocolatado e iogurtes) já atingiram a meta de redução definida para o ano de 2022. No que respeita ao teor de sal, duas das categorias (cereais de pequeno-almoço e pizzas) já atingiram igualmente a meta de redução definida para o ano de 2022.

A redução dos teores de sal, açúcar e gorduras trans dos produtos alimentares é uma medida do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS) da Direção-Geral da Saúde (DGS) e da Estratégia Integrada para a Promoção da Alimentação Saudável (EIPAS).

O processo de reformulação dos produtos alimentares é um compromisso entre o Estado, aqui representado pelo Ministério da Saúde e a DGS, e as principais associações do setor alimentar, Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares (FIPA), Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) e outras associações sectoriais.

Este compromisso alargado para a reformulação dos produtos alimentares, que foi assinado em 2019, contempla um sistema de avaliação anual (2019, 2020, 2021), por uma entidade externa independente (a NielsenIQ) com o apoio do INSA e sob supervisão da DGS, em particular do PNPAS.

Pode consultar o relatório “Redução do teor de sal e açúcar nos alimentos | Relatório do progresso da reformulação dos alimentos em Portugal 2018-2021”, aqui.

WordPress Ads
Envie este conteúdo a outra pessoa