Prémios VS: “Estamos no caminho certo” 668

O Programa de Nutrição Corporativo Jerónimo Martins, que visa democratizar o acesso a consultas de nutrição clínica, promover a literacia alimentar e nutricional e assegurar ambientes de trabalho saudáveis, a cerca de 34 mil colaboradores, conquistou o Prémio VIVER SAUDÁVEL 2023 na categoria “Projeto do Ano — Nutrição Comunitária e Saúde Pública”. Ana Rita Lopes, clinical nutrition manager do grupo, garante que “já é possível observar melhorias significativas nos hábitos alimentares”.

O que representa esta distinção para a equipa do Programa de Nutrição Corporativo Jerónimo Martins?

Representa um reconhecimento do trabalho que temos vindo a desenvolver nos últimos dois anos e, acima de tudo, demonstra que estamos no caminho certo. Esta distinção é um grande motivo de orgulho para a nossa equipa e, sem dúvida, fortalece a nossa determinação em promover práticas alimentares saudáveis e sustentáveis, que contribuem para a saúde e bem-estar dos nossos colaboradores.

O que esteve na génese deste projeto?

O desenvolvimento deste projeto teve por base o nosso pilar de responsabilidade corporativa “Promover a saúde pela alimentação”. Enquanto empresa especialista em distribuição alimentar, estamos conscientes da nossa responsabilidade, visto que chegamos à mesa de milhares de portugueses diariamente. Internamente, contamos com um universo de cerca de 34 mil colaboradores e consideramos que faz todo o sentido aplicar esse propósito às nossas pessoas, fazendo-lhes chegar informação de qualidade sobre alimentação e nutrição e o acesso a consultas de nutrição, sobretudo, nos casos de necessidade.

Em que consiste? Como funciona? Em que ano foi criado?

O Programa de Nutrição Corporativo Jerónimo Martins assenta, essencialmente, em três eixos: visa democratizar o acesso a consultas de nutrição gratuitas aos colaboradores que, por motivos de saúde, careçam desse acompanhamento e não tenham resposta na comunidade; apostamos na promoção da literacia alimentar e nutricional de todos os nossos colaboradores, através da divulgação de artigos informativos, realização de webinars, formações e outras ações; e, por fim, acreditamos que é fundamental apostar na modulação do ambiente laboral, com o propósito de garantir o acesso a produtos alimentares de qualidade nutricional e promover hábitos alimentares salutogénicos. Este projeto teve início em janeiro de 2022. Começámos por realizar várias ações piloto, que nos permitiram conhecer melhor a realidade, o estado de saúde e os hábitos alimentares dos nossos colaboradores, para, posteriormente, desenharmos e implementarmos este programa de forma direcionada e ajustada à nossa realidade.

Quais são as grandes mais-valias deste programa?

As grandes mais-valias deste programa são, efetivamente, poder contribuir para uma população ativa mais saudável. Como empresa socialmente responsável e composta por um grande universo de colaboradores, acreditamos que podemos, através de programas de saúde, ser um complemento à oferta na comunidade. Não queremos nunca nos sobrepor ao sistema nacional de saúde, queremos antes ser uma alternativa nos casos em que não existe uma resposta atempada na comunidade.

Qual foi o impacto junto dos colaboradores do Grupo Jerónimo Martins?  

O feedback dos nossos colaboradores tem sido ótimo, têm-se revelado muito gratos por esta oportunidade que a empresa lhes proporciona e isso deixa-nos muitos satisfeitos e com sentimento de missão cumprida. Os resultados que temos são ainda precoces, uma vez que o projeto é recente, mas já é possível observar melhorias significativas nos hábitos alimentares, com um aumento do fracionamento alimentar, da ingestão de água e do consumo diário de hortofrutícolas e a redução do consumo de doces, refrigerantes e bebidas alcoólicas. Ao nível do peso, temos verificado uma redução média de 6,7% em seis meses de acompanhamento em consulta, nos casos de obesidade, um resultado que nos orgulha.

Prémios VS: Em 2024 queremos distinguir o seu projeto

Quais foram as principais dificuldades no processo de criação e implementação deste projeto?

Uma das principais dificuldades foi a definição de um modelo que nos permitisse chegar a tantos colaboradores, dispersos por várias zonas do país. Acreditámos que a melhor opção seria tirar partido do digital, disponibilizando um serviço de vídeo-consulta, e foi, efetivamente, uma aposta ganha.

Que balanço fazem do programa desde a sua implementação?

O balanço é bastante positivo, o feedback dos colaboradores impactados tem sido ótimo, o que nos motiva a continuar. Temos vindo a limar arestas ao longo do tempo e aperfeiçoar o funcionamento do programa. Acreditamos que ainda há muito a fazer e que podemos ajudar muito mais pessoas, mas estamos convictos de que estamos no caminho certo.

Foi receber o prémio acompanhada pela colega Tânia Furtado, clinical nutrition specialist da Jerónimo Martins. Ficaram surpreendidas com esta vitória?

Acreditávamos na qualidade do nosso projeto e que poderíamos ter hipóteses de vencer, mas estávamos conscientes da elevada qualidade dos outros dois projetos que concorriam connosco na mesma categoria. Por isso, de certa forma sim, foi uma surpresa quando ouvimos o nome do nosso programa.

Qual foi a reação dos restantes membros da equipa?

Toda a equipa ficou, naturalmente, muito feliz com esta conquista. Apoiaram-nos desde o início e acreditaram que tínhamos o que era necessário para conquistar este prémio.

O que vos fez avançar com a candidatura a este prémio?

Achámos que fazia todo o sentido dar a conhecer este projeto, de que tanto nos orgulhamos. Acreditámos que era um projeto diferenciador e com potencial para vencer. Mesmo que não ganhássemos, a participação neste concurso serviria de divulgação do programa e poderia servir de inspiração para que outros colegas e outras empresas implementassem este tipo de iniciativas para os seus colaboradores. Acreditamos que a nutrição corporativa, apesar de ser uma área recente, tem um potencial enorme de crescimento.

Qual foi o segredo da vitória?

Acredito que tenha sido todo o esforço e empenho que colocámos na candidatura, além de todo o trabalho que está por trás e que tentámos que fosse refletido o melhor possível nesta participação.

Por onde passa o futuro do Programa de Nutrição Corporativo Jerónimo Martins? Quais são os desafios?

Os desafios passam por conseguir chegar a cada vez mais pessoas e, em 2024, apostaremos, essencialmente, na modulação de ambientes e na revisão da oferta alimentar nos espaços de trabalho. Além de que queremos impactar também as famílias dos colaboradores, nomeadamente os filhos, e temos novos projetos nesse sentido.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), passamos 2/3 do tempo em que estamos acordados no local de trabalho, sendo este um ambiente prioritário na influência de comportamentos alimentares mais salutogénicos. Considera que ainda há muito trabalho a fazer nesse sentido?

Acredito que ainda há um longo trabalho a fazer, mas acho que é transformador o facto de se estar a criar esta consciência e de existirem empresas como a nossa, que veem o local de trabalho como um ambiente de oportunidade para a promoção de hábitos saudáveis. Quero acreditar que, daqui para a frente, outras empresas seguirão este exemplo.

Esta foi a terceira edição dos Prémios VIVER SAUDÁVEL. Qual é a sua opinião sobre esta iniciativa?

A VIVER SAUDÁVEL está de parabéns por promover esta iniciativa que une os nutricionistas e que permite destacar o que de melhor se faz em nutrição, no nosso país.

Pedimos que deixe uma mensagem aos outros nomeados e futuros participantes.

Tive a oportunidade de conhecer os restantes projetos e testemunhar a enorme qualidade dos mesmos. É um motivo de orgulho para todos os nutricionistas, a qualidade do trabalho que tem sido desenvolvido no nosso país.

Prémios VS 2023: Jerónimo Martins vence Nutrição Comunitária e Saúde Pública

ENTREVISTA PUBLICADA NA EDIÇÃO DE JANEIRO-FEVEREIRO DE 2024 DA REVISTA VIVER SAUDÁVEL. 

Envie este conteúdo a outra pessoa