Panificadora de Santo Tirso premiada pelo Governo por reduzir teor do sal 239



30 de abril de 2018

Um desafio lançado pela Câmara de Santo Tirso, e iniciado em 2018, resultou na entrega hoje pelo Governo do selo de excelência à panificadora Pantir, que reduziu para um grama o teor de sal no pão.

O sócio gerente da primeira panificadora do país a avançar com a redução em 40% do teor de sal no pão, a Pantir, explicou à “Lusa” que o projeto surgiu de um desafio lançado pela autarquia.

«Sabíamos que era algo que seria obrigatório daqui a quatro anos e fomos convidados em finais de 2017 para integrar um projeto da câmara», relatou Paulo Almeida, dando conta que após «um período de teste de duas ou três semanas» optaram «por começar 2018 com o sal a menos de 1% por cada 100 gramas de pão».

Em segredo, o teste de mercado foi feito e a reação dos clientes, garantiu, «foi a normal», havendo «um ou outro que se queixou de alteração no sabor» do pão.

Produzindo «entre 35 mil a 45 mil pães por dia» que abastecem os «concelhos de Santo Tirso, Trofa, Paços de Ferreira, Maia e Matosinhos», o gestor disse estar provado ser «possível reduzir o teor de sal no pão sem este perder o seu gosto característico».

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo confirmou o gosto do pão, afirmando «continuar delicioso», elogiando um projeto que o Governo que fazer chegar «no próximo ano às escolas e ao Ensino Superior», num plano que visa «até 2021 reduzir o sal no pão em 70%, passando para menos de uma grama».

«De acordo com os testes feitos, e ainda agora comemos pão, não se nota qualquer diferença», garantiu o governante, elogiando a «responsabilidade» da indústria, que «desde o início se aliou ao Governo nesta matéria», e com quem foi “feito um acordo no ano passado».

Anunciando estarem a «trabalhar na lei que muito proximamente vai ser submetida à Assembleia da República», Fernando Araújo quer, dessa forma, fazer com que o «acordo feito com a associação dos panificadores seja uma realidade».

«Estamos a montar juntamente com a Direção-Geral de Saúde, Instituto Ricardo Jorge e Administração Regional de Saúde um prémio de forma a valorizar as padarias que mais precocemente atinjam esse valor».

Num país que «consome cerca de 30 toneladas a mais de sal por dia», o que faz com que «um em cada três portugueses seja hipertenso» e onde diariamente «morrem mais de 90 portugueses com doenças cardiovasculares», o Governo quer mudar o cenário «através da prevenção, pela redução do consumo diário de sal».

Para Joaquim Couto, a distinção a Pantir, «é uma grande vitória», realçando que a redução de 40%, «que já é um acrescento à lei do sal, poupa por dia milhares de vidas».

«O nosso objetivo, através das políticas municipais, ou em colaboração com o Ministério da Saúde e outras instituições do Estado, é continuar este trabalho a bem da saúde e de Portugal», disse o autarca, esperançado que «em breve outras padarias do concelho adiram ao projeto».

Criada enquanto deputado pelo atual presidente da autarquia do distrito do Porto, Joaquim Couto, em colaboração com o antigo deputado Jorge Almeida, em 2009, e então «aprovada por unanimidade» pelo Parlamento, a aplicação, agora, da lei do sal, em Santo Tirso, é a «cereja em cima do bolo» para o autarca.

Envie este conteúdo a outra pessoa