Mais de 70% das crianças portuguesas não ingerem fruta e legumes suficientes 509

 

 

27 de setembro de 2018

Um estudo realizado pela Associação Portuguesa Contra a Obesidade (APCOI) em parceria com o Instituto de Saúde Ambiental (ISAMB) da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL), dá conta que 74,9% das crianças com idades compreendidas entre os 2 e os 10 anos não cumprem a recomendação internacional da Organização Mundial da Saúde (OMS) de uma ingestão mínima de cinco porções de frutas e legumes diárias.

Este estudo, que analisou uma amostra de 12.764 alunos, referentes ao ano letivo 2017/2018, observou diferenças regionais relativamente à ingestão destes produtos.

 O distrito de Bragança foi a região que apresentou a maior percentagem de crianças abaixo das recomendações da OMS, com 96,7%. No pódio consta ainda o distrito da Guarda com 91,9% e a Região Autónoma dos Açores com 86,6%, avança um comunicado da APCOI.

Já o distrito de Évora, Beja e Castelo Branco estão mais próximos de atingir os valores recomendados da OMS, com 59%, 61,6% e 64,3%, respetivamente.

Nesta investigação foi ainda analisado o efeito da implementação do projeto “Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável” nas alterações alimentares dos alunos e «concluiu-se que, globalmente, 41,9% das crianças aumentou o seu consumo diário de fruta após 12 semanas de participação no projeto».

«Estes números vêm comprovar a importância do projeto “Heróis da Fruta” enquanto ferramenta de educação para a saúde.», afirma o presidente e fundador da APCOI, Mário Silva no mesmo comunicado.

Envie este conteúdo a outra pessoa