Liliana Sousa apresentou candidatura: “A ON não é do bastonário” 2564

Liliana Sousa, candidata a bastonária da Ordem dos Nutricionistas (ON) pela Lista B, promoveu no passado dia 15 de setembro uma sessão pública de apresentação da candidatura, na Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP). A VIVER SAUDÁVEL esteve presente no evento.

Com cerca de 400 nutricionistas na plateia (na sua maioria à distância, através de transmissão online), Liliana Sousa contou com uma representação de peso daquela que é a sua bandeira, a do terreno. Viu sentados vários diretores de Serviços de Nutrição: Dulce Senra (ULS de Matosinhos), Fernando Pichel (Centro Hospitalar Universitário do Porto), Cristina Teixeira (Centro Hospitalar Universitário de São João), Graça Ferro (ULS do Alto Minho e presidente do Conselho de Especialidade de Nutrição Clínica da ON), entre outros.

Célia Craveiro (APN), Leonor Quelhas Pinto (ANEN) e Helena Ávila (presidente do Conselho de Especialidade de Alimentação Coletiva e Restauração da ON) também estiveram presentes. A atual bastonária, Alexandra Bento, que se fez representar na apresentação da Lista B no dia 1 de setembro, não repetiu a presença para a Lista B. Pedro Graça, diretor da FCNAUP e Nutricionista do Ano nos Prémios VIVER SAUDÁVEL de 2022, marcou presença apenas durante a receção dos convidados. A candidata contou ainda com o apoio público de familiares.

A mandatária da Lista B, Raquel Lopes, foi a primeira a intervir na sessão, para afirmar que “a união não significa a uniformidade de opinião”, ou um “pensamento único”, pelo que a ON “poderá em breve representar e defender”, não só os nutricionistas, como os destinatários dos serviços. Destacou “o sentido de missão e entrega” de Liliana Sousa, bem como a sua “ponderação, calma e assertividade”, que a tornam na “candidata certa”. “Não assumam que o vosso voto não vai fazer a diferença”, concluiu, pois a “Nutrição precisa de todos”.

Seguiu-se a intervenção de Elsa Madureira, candidata a presidente do Conselho Jurisdicional, e que nos últimos quatro anos fez parte do Conselho Geral da ON. E foi precisamente nesta posição que “com alguma angústia e revolta” assistiu à “aprovação de alguns documentos que não acautelaram a defesa da profissão, nomeadamente o Ato do Nutricionista”. O mesmo em relação ao papel do órgão no que diz respeito à unificação de carreiras ou à criação da Competência em Nutrição por parte da Ordem dos Médicos. Por isso, a Lista B “é a que melhor assegura a mudança” de rumo para a profissão.

 

Excelência, ética, rigor, qualidade, equidade, cooperação, transparência, proximidade, empatia e humanismo, solidariedade. São estas as características que marcam a campanha, garantiu Liliana Sousa, ao apresentar o programa e os seus colegas de Lista à audiência. A Nutricionista reforçou um programa que se centra “em oito principais eixos de ação que juntos constituirão a base para o atingimento dos objetivos” que reconhece como “fundamentais para ganhos em saúde através de cuidados nutricionais seguros e de qualidade acessíveis e disponíveis a toda a população”. O programa completo, já abordado em entrevista, foi explicado aos presentes.

Após destacar alguns pontos de relevo na sua candidatura, como a dignificação do emprego e a proximidade aos destinatários dos serviços, Liliana Sousa abordou a transparência, uma das suas bandeiras. “A Ordem não é do bastonário. A Ordem não é da Direção. A Ordem é de todos os profissionais e, como tal, todos têm que ter o direito de exercer a sua escolha, de exercer o seu direito de dizer “sim” ou “não” às decisões importantes que venham a ser tomadas”, disse a profissional com cerca de 25 anos de experiência.

“Trago paixão, mas trago também bagagem profissional, de experiência e conhecimento do terreno, aliado à preparação formativa necessários ao desempenho da função de elevada responsabilidade a que me proponho”, continuou, antes de dar a palavra a Fátima Fonseca, candidata ao Conselho Geral pelo Círculo Eleitoral do Norte.

Liliana Sousa: A candidata “do terreno” que quer “recuperar o prestígio da profissão”

“Muitas vezes sou apelidada da pessoa do contra”, referiu Fátima Fonseca, para quem “está na hora de fazer diferente”. “Mais do que a preparação técnica, mais do que o conhecimento do terreno e das várias áreas”, Liliana Sousa “é a pessoa  que tem vontade de querer fazer mais e melhor”. Candidata ao mesmo órgão pelo mesmo Círculo, Daniela Vareiro reforçou a necessidade de “ver quem está do outro lado” [fora da estrutura da ON], para perceber, acolher e também, em colaboração uns com os outros, trabalhar com responsabilidade”.

“Há 12 anos atrás depositávamos confiança numa ordem profissional recém-criada. Doze anos depois, não negamos o trabalho inquestionavelmente feito, nem será nunca nossa intenção destruir o que temos desenvolvido”, assegurou Liliana Sousa, aquando do encerramento da sessão. Pelo contrário, quer trabalhar “sobre a estrutura existente, fortalecendo as suas bases, aperfeiçoando os seus alicerces, encontrando caminhos, definindo soluções”. O seu objetivo é, essencialmente, fazer diferente.

 

Liliana Sousa, que já promoveu duas sessões de esclarecimento online e esteve dois dias em campanha na Região Autónoma da Madeira, tem ainda agendadas sessões de apresentação da candidatura no Auditório da Maternidade Alfredo da Costa, esta segunda-feira, em Lisboa, e na Unidade de Portimão do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, na terça-feira, dia 19 de setembro.

Envie este conteúdo a outra pessoa