FAO: alimentos com preços recorde ameaçam crise mundial 1026

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO, na sua sigla em inglês) divulgou, no seu portal, que os preços mundiais dos alimentos atingiram em março “os mais altos níveis alguma vez registados, com a guerra na região do Mar Negro”, principalmente nos “grãos e óleos vegetais”.

“O Índice de Preços de Alimentos da FAO teve uma média de 159,3 pontos em março, com uma subida de 12,6% em relação a fevereiro, quando já havia atingido seu nível mais alto desde sua criação em 1990”, indica o portal da FAO.

Os preços das matérias-primas agrícolas, como trigo, milho ou óleo de girassol, subiram 12,6% em março.

“O Índice de Preços de Cereais da FAO foi 17,1% mais alto em março do que em fevereiro, impulsionado pelos grandes aumentos nos preços do trigo e de todos os grãos, em grande parte como resultado da guerra na Ucrânia. A Federação Russa e a Ucrânia, juntas, responderam por cerca de 30% e 20% das exportações globais de trigo e milho, respetivamente, nos últimos três anos. Os preços mundiais do trigo subiram 19,7% durante o mês”, explica a FAO.

A Federação Russa e a Ucrânia, são respetivamente primeiro e quinto exportadores mundiais de trigo.

Os preços alimentares também subiram devido ao impacto do aumento dos óleos vegetais, com o índice FAO “a subir 23,2%, impulsionado pelas cotações mais altas do óleo de semente de girassol, do qual a Ucrânia é o maior exportador mundial. Os preços do óleo de palma, soja e colza também aumentaram acentuadamente como resultado dos preços mais altos do óleo de semente de girassol e do aumento dos preços do petróleo bruto”.

O Índice de Preços do Açúcar da FAO também “subiu 6,7% em relação a fevereiro, revertendo quedas recentes para atingir um nível mais de 20% superior ao de março de 2021. Os preços mais altos do petróleo bruto foram um fator determinante”.

Outro dos Índices a subir também, foi o de “Preços da Carne da FAO que aumentou 4,8% em março, para atingir um recorde histórico, assim como o “Índice de Preços de Lácteos da FAO que subiu 2,6% e foi 23,6% mais alto do que em março de 2021”.

Pode consultar todos os Índices aqui.

Entretanto, a FAO lançou um portal para disponibilizar informação sobre as consequências da invasão Russa à Ucrânia nos mercados agrícolas e alimentares. Pode consultar aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa