Eurostat: 9% da população da UE com mais de 15 anos bebe refrigerantes açucarados diariamente 459

A Eurostat lançou novos dados sobre o consumo de bebidas refrigerantes açucarados.

De acordo com a informação divulgada, em 2019, 9% da população da União Europeia (UE) com idade igual ou superior a 15 anos bebia bebidas refrigerantes açucarados diariamente. Já 6% bebiam essas bebidas 4-6 vezes por semana e 19% bebiam 1-3 vezes por semana.

Portugal encontra-se abaixo da média Europeia, mas ainda com valores de consumo diários elevados, com 8,6%.

Entre os Estados-Membros da UE, a percentagem de pessoas que relataram beber refrigerantes com açúcar pelo menos uma vez por dia foi mais elevada na Bélgica (20%), seguida por Malta, Alemanha, Hungria, Polónia e Bulgária (todos cerca de 12%).

A percentagem mais baixa foi registada na Estónia (2%), seguida pela Lituânia, Finlândia, Letónia e Roménia (todos com 3%).

Os dados mostram que o consumo diário de refrigerantes adoçados com açúcar foi mais comum dos homens, com 12%, contra os 7% das mulheres.

Verificou-se também que, quanto maior a faixa etária, menor a frequência de consumo dessas bebidas. O consumo mais elevado registou-se entre os de 15 a 24 anos, com 14%, enquanto que a partir dos 65, o consumo desce para os 5%.

Estes dados mostram a necessidade de se criar ações como o imposto especial de consumo sobre as bebidas açucaradas e adicionadas de edulcorantes, aprovado pela Lei n.º 42/2016, de 28 de dezembro, e revisto pela Lei n.º 71/2018, de 31 de dezembro, com vista à introdução de novos escalões de taxação.

Entre 2016 e 2020, com esta medida, o teor de açúcar destas bebidas sofreu uma diminuição de 17%.

A regulação da publicidade e marketing alimentar, assim como o plano para a reformulação dos produtos alimentares (refrigerantes, néctares, leite com chocolate, iogurtes e leites fermentados, cereais de pequeno-almoço) são outros exemplos de ações que se encontram a decorrer e que podem ter um forte impacto na redução do consumo de bebidas refrigerantes açucaradas em Portugal.

Pode consultar a informação aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa