Estudo: Universidade de Évora está a recrutar participantes para comer queijo 0 11

 

 

18 de dezembro de 2018

Uma equipa de investigação da Universidade de Évora quer conhecer que emoções as pessoas associam aos diferentes tipos de queijo e se a forma como essas emoções se relacionam com fatores sensoriais (como o sabor, cheiro e textura) influencia as preferências.

 

“Que emoções há num queijo?” – é este o ponto de partida para o estudo conduzido por investigadores da Universidade de Évora, no âmbito do projeto Sabor Sur (Interreg V). O estudo, que decorre até amanhã, 19 de dezembro, convida a população em geral a provar diferentes tipos de queijo, a identificar as suas características sensoriais e as emoções que estes lhe suscitam. 

 

O grupo responsável pelo estudo é constituído por investigadores de diferentes áreas científicas e tem como objetivo estudar os determinantes das escolhas e preferências alimentares, cruzando perspetivas biológicas, sensoriais, psicológicas e sociais. 

 

«As escolhas alimentares dependem de diversos fatores. As pessoas podem preferir determinados aspetos sensoriais, em termos do sabor, cheiro ou textura dos alimentos, mas as escolhas não dependem apenas das características dos alimentos, mas também das características das próprias pessoas. É por isso que atualmente se começam a estudar, não só as diferenças individuais, em termos de perceção sensorial, mas também em termos das emoções ou da personalidade», refere Elsa Lamy, coordenadora de projeto, citada no “Notícias ao Minuto”.

 

A integração dos aspetos sensoriais e psicológicos é uma via promissora para a compreensão do comportamento dos consumidores face aos mais diversos alimentos e este estudo foca-se num em particular: o queijo. 

 

Pela sua versatilidade, é capaz de se adaptar aos mais diferentes contextos e, por isso, também capaz de evocar emoções muito diversas. Essas características justificaram a sua escolha como protagonista do estudo. 

 

«As características sensoriais do queijo estão amplamente estudadas, quer por consumidores, quer por provadores especialistas, mas pouco se sabe sobre o que as pessoas sentem quando comem queijo e, sobretudo, sobre como as diferentes sensações olfato-gustativas, como o doce ou o amargo, se podem relacionar com diferentes emoções», explicam os investigadores.

Envie este conteúdo a outra pessoa