Estudo: Dieta rica em açúcar aumenta o risco de doenças intestinais 336

De acordo com um estudo publicado na revista Science Translational Medicine, em outubro, de investigadores da UT Southwestern, uma dieta rica em açúcar pode contribuir para o aparecimento de doenças inflamatórias intestinais.

O estudo denominado por “Dietary simple sugars alter microbial ecology in the gut and promote colitis in mice“, é da autoria de Shahanshah Khan, Sumyya Waliullah, Victoria Godfrey, Md Abdul Wadud Khan, Rajalaksmy A. Ramachandran, Brandi L. Cantarel, Cassie Behrendt, Lan Peng, Lora V. Hooper e Hasan Zaki.

Para entender o efeito dos açúcares da dieta simples na colite, os investigadores alimentaram ratos com glicose a 10% por 7 dias. Essa dose de glicose é clinicamente relevante porque os refrigerantes contêm cerca de 15% de açúcar. Foram também administrados com 2,5% de sulfato de dextrano de sódio (DSS) e 10% de glicose.

Os ratos tratados com glicose mostraram extrema sensibilidade ao tratamento DSS e sofreram de colite agressiva com diarreia com sangue e perda rápida de quase 20% do peso corporal, enquanto os ratos controle permaneceram saudáveis ​​com peso estável. Constatou-se também que aos ratos tratados com glicose tinham um cólon mais curto, assim como colite com a perda de criptas epiteliais, inflamação e ulceração.

Concluiu-se que diferentes tipos de açúcar alteraram notavelmente a população microbiana do intestino dos animais. Contudo, a glicose foi considerada o pior tipo de açúcar pois os ratos que a consumiram desenvolverem colite e mostraram um aumento significativo na gravidade dos sintomas.

Esta experiência revelou um aumento de bactérias conhecidas por produzir enzimas que podem degradar a camada de muco que protege o revestimento do intestino grosso.

No estudo, os investigadores explicam que “a camada de muco protege o tecido da mucosa intestinal. Uma maior abundância de bactérias degradadoras de muco, incluindo Akkermansia muciniphila e Bacteroides fragilis, em ratos é, portanto, um risco potencial para a barreira de muco intestinal”.

Visto esta experiência feita em ratos verificar que as alterações do microbioma influenciam fundamentalmente a gravidade das Doenças Inflamatórias do Intestino (DII), os investigadores levantam a hipótese de que dietas com alto teor de açúcar em humanos podem ser um fator-chave que sustenta o rápido aumento da prevalência de DII.

Pode consultar o estudo aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa