ASAE alerta para plásticos contendo aditivos de bambu 264

Na sua newsletter de novembro de 2021, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), alerta para o facto de que plásticos com aditivos de bambu, destinados ao contato com alimentos é ilegal, e tem risco para o consumidor.

De acordo com a ASAE, os materiais plásticos destinados ao contacto com alimentos só podem ser fabricados com substâncias que foram avaliadas e autorizadas de acordo a lista da União Europeia de substâncias autorizadas.

Contudo, a ASAE tem verificado que alguns desses materiais de plástico têm sido vendidos no mercado da UE contendo bambu (moído ou em farinha) e outros aditivos vegetais (farinhas de milho, arroz, cânhamo, entre outros), que não estão autorizados.

Cono tal, “a colocação no mercado de plástico contendo esses aditivos é, portanto, ilegal”.

Para além disso, a ASAE alerta que “o uso de bambu e outros materiais vegetais triturados não autorizados em materiais de plástico destinados a entrar em contacto com alimentos pode representar um risco para o consumidor”.

Isto porque a presença de aditivos de bambu “promove a degradação acelerada de certos plásticos, resultando a migração dessas substâncias do plástico para os alimentos. Por exemplo, em alguns materiais plásticos de melamina aos quais foi adicionado aditivo de bambu, verificou-se que o plástico degrada-se e a melamina e o formaldeído gerados podem migrar para os alimentos em quantidades que excedem os limites de segurança” estabelecidos na UE.

“Quando colocados no mercado, estes materiais são frequentemente apresentados como “naturais”, “100% bambu”, “ecológicos”, “recicláveis” ou mesmo “biológicos”. Estas definições induzem em erro os consumidores, em especial os consumidores ambientalmente conscientes, que creem estar a comprar algo que acreditam ser sustentável e alternativa aos materiais plásticos”, explica a Autoridade de Segurança Alimentar.

A ASAE, enquanto Autoridade Competente do Controlo Oficial dos Géneros Alimentício está a participar, desde Maio de 2021, na execução do Plano de Controlo Coordenado (CCP Bamboo-Zling). Este plano irá decorrer até ao fim do corrente ano e que tem como objetivo garantir a segurança do consumidor no âmbito dos materiais para contacto com alimentos e assegurar a retirada do mercado de materiais e objetos de “melamina/bambu” destinados a entrar em contacto com alimentos não seguros.

Envie este conteúdo a outra pessoa