Um ano depois, cabaz de alimentos essenciais custa mais 11 euros 1031

Está quase a fazer dois anos que a Deco começou a monitorizar o preço de um cabaz de 63 bens essenciais e, a apenas alguns dias do Natal, a comparação em relação ao período homólogo deixa ver que o preço do conjunto de alimentos subiu cerca de 11 euros.

Se a 14 de dezembro de 2022 o cabaz custava 218,87 euros, agora o custo é de 229,63 €, cerca de mais 11 euros.

Já sobre este ano, a Deco alerta que, na última semana, o preço da pescada foi dos que mais aumentou e que, a 13 de dezembro, um quilo deste peixe custava, em média, 10,99 euros.

A subir está ainda o preço do bacalhau, que a poucos dias da ceia de Natal subiu novamente, custando agora 12,94 euros por quilo.

O cabaz chegou a um valor recorde a 15 de março deste ano, quando custava 234,84 euros. No entanto, a 18 de abril, com a entrada em vigor do IVA zero, começou a descer, com a tendência a inverter-se em setembro, quando o cabaz ultrapassou o valor registado no início de 2023.

Na primeira semana de 2023, o conjunto de bens essenciais custava menos 10,23 euros do que a 13 de dezembro. Em comparação com o período homólogo, a subida foi de 10,76 euros. Já em comparação com a primeira semana de 2022, o valor registado esta semana representa um aumento de 41,93 euros.

 

Envie este conteúdo a outra pessoa