Substituir carne por proteína vegetal é opção para 45% dos portugueses 745

06 de Setembro de 2016

Quase metade dos portugueses parecem dispostos a deixar de comer carne e optar por proteínas vegetais, como o grão ou feijão, 54% consideram ter uma alimentação saudável e muitos mais dizem consumir legumes frequentemente, revela um inquérito.

Segundo os dados do “Primeiro Grande Inquérito Sustentabilidade em Portugal”, realizado Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa, divulgado esta terça-feira, 45% dos participantes manifestaram-se bastante ou muito dispostos a optar por proteínas vegetais, em vez de carne.

No entanto, 38% disseram que estar nada ou pouco dispostos a abdicar da carne na sua alimentação, enquanto 17% ainda estão indecisos.

Já para alternativas mais modernas ou estranhas a disponibilidade não é a mesma pois 80% não estão dispostos a introduzir insetos e minhocas processados nas suas refeições nem a consumir carne de animais clonados, 78% não quer carne de laboratório (in vitro) ou alimentos geneticamente modificados e 72% recusa refeições em pastilhas.

As conclusões acerca dos hábitos saudáveis dos portugueses apontam ainda para idas regulares ao médico da parte de 47%, pelo menos oito horas de sono por noite para 43%, peso vigiado em 41%, além de moderação no consumo de bebidas alcoólicas em 17%.

As medicinas alternativas são utilizadas somente por 6% dos inquiridos, mas o consumo de produtos de agricultura biológica já estão nas casas de 17% dos portugueses, enquanto 13% reconhece a ingestão de suplementos alimentares vitamínicos.

Além do consumo de verduras e legumes da parte de 73% dos inquiridos, a fruta também está na lista de comportamentos associados a uma alimentação saudável (57% de respostas), como a opção por comer várias vezes ao dia (46%) ou a redução de produtos salgados (41%) e de refrigerantes (39%).

Menos adeptos, mas ainda assim quase 20%, têm a preferência por produtos da época e o cuidado em evitar produtos com pesticidas.

Estes comportamentos relacionados com alimentação saudável são sempre mais seguidos pelas mulheres.

Envie este conteúdo a outra pessoa