Pesca e aquicultura “têm um papel cada vez mais importante no fornecimento de alimentos, nutrição e empregos” no mundo 350

Qu Dongyu, diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO, em inglês), defende que as pescas e a aquicultura “têm um papel cada vez mais importante no fornecimento de alimentos, nutrição e empregos em todo o mundo”.

As pescas e a aquicultura “podem potencialmente contribuir para melhorar a segurança alimentar e nutricional global”, explica a FAO em comunicado, relembrando que “os esforços devem ser intensificados para garantir que o desenvolvimento seja eficiente, inclusivo e sustentável” e ainda “que se reconheça o papel vital dos pescadores e piscicultores de pequena escala”, profissionais essenciais para a alimentação de milhões de cidadãos.

“Hoje, mais do que nunca, à medida que enfrentamos desafios globais, a pesca e a aquicultura desempenham um papel cada vez mais importante no fornecimento de alimentos, nutrição e empregos em todo o mundo”, disse Qu Dongyu na abertura da 35.ª Sessão do Comité das Pescas (COFI35), acrescentando: “os nossos valiosos recursos aquáticos devem ser gerenciados e usados de forma responsável e sustentável, guiados pela melhor ciência possível”, no que a FAO chama de Transformação Azul.

Nesta edição do COFI, que começou no passado dia 5 e termina dia 9 de setembro, serão discutidas formas de “aumentar a aquicultura global de forma sustentável e equitativa, melhorar a gestão da pesca e aumentar os esforços para eliminar a pesca ilegal, não declarada e regulamentada”. É também dado destaque à “conservação da biodiversidade e ao desenvolvimento sustentável da pesca e aquicultura no contexto de clima em mudança”.

Os membros do comité irão ainda discutir “a implementação do Código de Conduta para a Pesca Responsável, um instrumento fundamental que tem orientado esforços para promover a pesca e a aquicultura sustentáveis em todo o mundo há mais de 25 anos”. Neste sentido, a organização pedirá aos países que “endossem as primeiras Diretrizes Voluntárias para Transbordo, um novo instrumento que fornecerá padrões críticos para aplicar políticas e regulamentos”. O objetivo é regulamentar, monitorizar e controlar a pesca sustentável.

WordPress Ads
Envie este conteúdo a outra pessoa