Pé de atleta: saiba como prevenir e cuidar para um verão sem desconfortos 237

A chegada do verão pede cuidados redobrados com a pele, especialmente para evitar desconfortos comuns como o pé de atleta. Os fungos vivem no ar, no solo, na água, até nas plantas e nos animais, por isso, é natural que se alojem na pele. A adoção de boas práticas de higiene pode ajudar a evitar contrair e propagar infeções fúngicas, mas essencialmente ajuda a manter a pele mais saudável.

As infeções fúngicas da pele estão entre as dez infeções mais comuns em todo o mundo1. Estes fungos são designados dermatófitos e podem provocar vários tipos de doenças e afetar também outras zonas do corpo. Este tipo de infeção fúngica é muito comum em espaços comunitários como piscinas, ginásios e chuveiros públicos, ou seja, multiplica-se em zonas quentes e húmidas, onde os dermatófitos encontram condições para sobreviverem e se propagarem. Andar descalço nesses locais aumenta significativamente o risco de contrair a infeção. No caso do pé de atleta, tendem a alojar-se entre os dedos dos pés, mas também pode afetar as solas e laterais dos pés.

O nome pode enganar, pois o pé de atleta não é exclusivo dos desportistas e pode afetar qualquer um. Mais de 70% da população pode vir a sofrer desta patologia pelo menos uma vez na vida . Também conhecido como tinea pedis, esta é uma infeção fúngica e cutânea que provoca maioritariamente comichão, ardor ou sensação de queimadura, pele muito seca e fragilizada entre os dedos do pé, vermelhidão e mau cheiro. Estes sintomas podem provocar um grande desconforto e, por isso, a prevenção e o tratamento com medicamentos antifúngicos são fatores chave para uma pele mais saudável e um verão descansado.

Por ser uma infeção contagiosa, o pé de atleta pode espalhar-se facilmente para outras partes do corpo, ou até transmitir-se para outras pessoas que estejam em contacto com a pessoa infetada. Mas há boas notícias, existem algumas dicas simples para prevenir o contágio do pé de atleta:

1- Não partilhar lençóis, toalhas ou sapatos;
2- Lavar e secar as mãos cuidadosamente depois de se ter tocado numa zona infetada ou após o toque em objetos ou superfícies que possam estar infetadas
3- Avisar os familiares e amigos que partilhem o mesmo espaço para terem cuidados semelhantes;
4- Escolher meias que evitem a transpiração. Os tecidos com fibras naturais e o algodão são as melhores opções;
5- Evitar sapatos que impeçam os pés de respirar, ou que façam pressão sobre as unhas e usar sempre sandálias ou chinelos nos balneários de ginásios ou piscinas para prevenir infeções.

Para mais informações sobre o Pé de Atleta, por favor, consulte: https://www.antifungicos.bayer.pt/saude-da-pele-e-dos-pes/pe-de-atleta.

1- Bayer. Saúde da pele e dos pés. Disponível em: https://www.antifungicos.bayer.pt/saude-da-pele-e-dos-pes. [Consultado em junho de 2024].

Envie este conteúdo a outra pessoa