Ministra da Saúde: «Não deixaremos de responder aos reptos dos nutricionistas» 0 225

A Ministra da Saúde e a Bastonária da Ordem marcaram presença na Sessão de abertura do Congresso da Ordem dos Nutricionistas em discursos que focaram a necessidade de investimento na prevenção da doença, e a urgência da sustentabilidade do SNS. O Portal Viver Saudável acompanhou o evento.

Alexandra Bento começou o seu discurso com a ideia de que os maus hábitos alimentares são a causa de muitas das doenças crónicas cujos tratamentos têm vindo a representar um encargo cada vez maior para o SNS. Tendo por base esta ideia, a bastonária adianta que a aposta na prevenção das doenças deveria ser mais forte, já que o 1% do orçamento que é reservado neste âmbito é muito inferior a outros países europeus. Aproveitou a ocasião para lançar o repto ao governo para continuar e mesmo «aumentar a intensidade» das medidas políticas tomadas, no sentido de melhorar a condição de saúde dos portugueses, «liderando as questões da promoção da saúde através da alimentação».

«A alimentação tem que estar em todas as políticas», numa intervenção «integrada e multidisciplinar», defende Alexandra Bento, falando de uma necessária «transgovernamentabilidade». Já a Ministra da Saúde diz que este compromisso não deve ser interrompido quando mudam os «atores»

A bastonária termina o seu discurso, assegurando que a «A Ordem se coloca com responsabilidade ao serviço do país» e defendendo que a intervenção dos nutricionistas é «fundamental» e que a Ordem está para cada um desses profissionais nesta missão da «defesa da saúde de todos os portugueses».

No seu discurso, Marta Temido refere a problemática da obesidade nas crianças como um dos grandes desafios da saúde em Portugal e concorda com a necessidade da garantia da sustentabilidade do SNS, recordando as medidas já tomadas pelo Governo no que concerne a alimentação.

«Na Ordem dos Nutricionistas reside o conhecimento para que os portugueses possam viver uma vida mais saudável», sendo a mesma fundamental para «o apoio na tomada de decisões informadas», defendeu a ministra da Saúde.

Aceitando os reptos lançados pela Bastonária sobre as necessárias ações continuadas do Governo, a Ministra da Saúde terminou garantindo que «não vamos deixar de responder».

Envie este conteúdo a outra pessoa