México: Imposto sobre refrigerantes não diminui a sua ingestão 681

04 de Maio de 2016

Apesar de o México ter implementado um imposto de 10% sobre os refrigerantes, há dois anos, a ingestão dessas bebidas voltou a aumentar nos últimos tempos.

O consumo de bebidas açucaradas no México é o mais elevado do mundo, o que faz com que o Governo tente diminuir a ingestão destas bebidas, responsáveis pela elevada taxa de obesidade e diabetes no país.

A OMS recomendou em 2016, que os governos começassem a taxar os refrigerantes, visando reduzir a obesidade infantil.

No México, apesar da medida já ter sido implementada, uma garrafa de refrigerante custa cerca de 32 cêntimos e uma garrafa de água custa 40, avançou a “TSF”.

Envie este conteúdo a outra pessoa