Governo e APN promovem compromisso entre associações do setor panificador por um pão mais saudável 705

 

13 de julho de 2018

O Ministério da Saúde e a Associação Portuguesa de Nutrição (APN) alinharam esforços para a diminuição do sal e das gorduras trans na alimentação dos Portugueses. A Direção-Geral de Saúde (DGS), o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) e as associações regionais do pão (ACIP, AIPAN e AIPL) assinaram um compromisso com vista à eliminação dos ácidos gordos trans industrializados dos produtos de pastelaria e similares.

A oficialização deste esforço foi feita pela assinatura de uma adenda ao protocolo existente entre estas entidades para a diminuição do teor de sal do pão, numa cerimónia que contou ainda com o lançamento do e-book “Melhor grão, melhor pão: uma análise nutricional sobre o pão”.

No âmbito da Estratégia Integrada para a Promoção da Alimentação Saudável (EIPAS), em particular da concertação de políticas para a disponibilização de produtos alimentares mais equilibrados, e com o objetivo de reduzir o sal e as gorduras trans na alimentação dos portugueses, o protocolo enquadra-se no anúncio do compromisso do Governo Português para a eliminação de ácidos gordos trans em Portugal, feito pelo Ministério da Saúde durante a 71ª Assembleia Mundial da Saúde, e no trabalho que o Ministério da Saúde tem desenvolvido em parceria com as associações industriais, setoriais e profissionais para o desenvolvimento de melhores opções para os cidadãos portugueses.

Depois da disponibilização de produtos com menos sal, o acordo agora assinado prevê um compromisso para a eliminação de gorduras trans nos produtos de pastelaria.

«O excessivo consumo de sal e gorduras trans pelos portugueses está intrinsecamente relacionado com a prevalência das doenças cardiovasculares em Portugal. Torna-se fundamental procurar pontos de acordo na sociedade para o desenvolvimento de medidas que permitam diminuir o consumo destes produtos, e os compromissos que o Ministério da Saúde tem firmado com as principais associações do setor alimentar são passos importantes no caminho para nos alinharmos com as orientações da Organização Mundial de Saúde neste sentido» declarou, num comunicado, Fernando Araújo, secretário de Estado Adjunto e da Saúde.

Para Helena Real, secretária-geral da Associação Portuguesa de Nutrição, «educar e sensibilizar para o consumo de alimentos mais equilibrados e para a redução do sal é urgente. É um trabalho contínuo, enquadrado nas metas que a Organização Mundial de Saúde impõe, e que tem de começar já, de forma consistente e de forma concertada entre várias instituições e empresas. Para começar, nada melhor que promover o consumo de produtos simples e de enorme qualidade como o pão, um alimento bem enraizado na cultura portuguesa e que é base da alimentação mediterrânica».

Envie este conteúdo a outra pessoa