FAO e OMS trabalham para definir padrões globais para a rotulagem 0 36

A FAO e a OMS a trabalhar, através da Comissão do Codex Alimentarius, para estabelecer padrões globais para a rotulagem de alimentos a serem cumpridas por cada país, com especial enfoque para os produtos a serem vendidos no mercado global.

No site da FAO sobre esta parceria, relembra-se que, com a intensificação do comércio internacional, é cada vez mais difícil saber quem produz e de onde vêm os alimentos. Os rótulos confiáveis ajudam a colmatar essa lacuna, garantindo ainda que educam os consumidores sobre os ingredientes e nutrientes. Padronizar marcações e educar os consumidores e as partes interessadas da cadeia de fornecimento pretende ainda ajudar a minimizar também o desperdício alimentar.

Por serem fundamentais para a segurança e compreensão alimentar, a FAO enumera os vários benefícios da rotulagem. Assim, os rótulos permitem salvaguardar a saúde dos consumidores, permitindo compreender a composição dos alimentos – suas vitaminas, minerais, gorduras, calorias, etc, garantindo que se consome os alimentos necessários à saúde. Garante-se assim a ingestão de micronutrientes para evitar deficiências. Permite ainda o controlo do peso, monitorizando as calorias e gorduras saturadas, e limitar ingestão de açúcar e sal.

Em segundo lugar, a rotulagem permite manter os consumidores seguros, já que fornecem avisos e informações importantes sobre as melhores formas de usar um produto – instruções de armazenamento e de confeção – necessárias para manter os alimentos seguros.

É também mencionada a importância dos rótulos para permitir evitar fraudes, sendo um dos seus principais objetivos da rotulagem. Como se lê no site da FAO, «sem rótulos internacionalmente reconhecidos, os vendedores de alimentos podem deliberadamente enganar os/as consumidores/as através de falsas representações nas embalagens».

deteção de ingredientes que possam causar reações nocivas, já que as reações aos alimentos afetam 10 a 25% da população dos países desenvolvidos. Desconhecendo os ingredientes de um produto, pode surgir a ingestão de algum componente que cause um ataque alérgico, alguns dos quais muito graves.

Também fundamental é impedir o desperdício de comida. Os rótulos dos alimentos, quando lidos corretamente, servem também para impedir desperdício de alimentos que podem ser consumidos. A marcação de data nos rótulos dos alimentos permite saber em que período um produto é seguro para ser consumido, havendo ainda assim confusão entre a marcação “consumir de preferência até” ou “consumir até”. Na União Europeia, aproximadamente 10% dos alimentos que são desperdiçados está relacionado com a marcação da data.

No que diz respeito ao apoio da produção local de alimentos, os rótulos que indicam a origem dos bens alimentares, podem atrair a atenção do cliente e acrescentar valor ao produto e, consecutivamente, o/a produtor/a. Num estudo conduzido pelo European Bank for Reconstruction and Development e pela FAO, nove produtos com rótulos de indicação geográfica aumentaram o preço do produto final em 20 a 50%. Hoje em dia, os consumidores relacionam cada vez mais a qualidade com as origens e tradições geográficas.

Terminando com o mote de que «a informação é poder», a FAO recorda que os rótulos são fáceis de passar despercebidos, mas que é importante notar que este conhecimento é um forte aliado à saúde.

Envie este conteúdo a outra pessoa