Excesso de peso e má alimentação determinantes para a qualidade de vida 1120

O excesso de peso e obesidade, assim como os hábitos alimentares inadequados, estão entre os principais causadores da diminuição de anos de qualidade de vida dos portugueses. Estes fatores contribuíram para 8,3% e 7,5% do total de mortes em Portugal em 2021, segundo dados do Global Burden Disease Study, de 2021, publicado em maio deste ano.

O GBD Study é um estudo internacional que recolhe de forma sistemática informação proveniente de 204 países, cujo objetivo é o de fornecer informações sobre as doenças e os fatores de risco que mais contribuem para a mortalidade e para a perda de anos de vida saudável. O estudo é coordenado pelo Institute for Health Metrics and Evaluation da Universidade de Washington e conta com a colaboração da Direção-Geral da Saúde (DGS), refere o blog nutrimento.pt.

O consumo em excesso de carne vermelha, carnes processadas e sal, por outro lado o insuficiente consumo de cereais integrais, frutas e hortícolas, foram os motivos pelos quais os portugueses viveram anos com menos saúde.

Além da alimentação inadequada e do excesso de peso, outros determinantes da saúde, indiretamente relacionados com o modo como comemos, tais como glicose plasmática elevada e a hipertensão arterial, são considerados os principais responsáveis pelo aparecimento, em Portugal, de doenças como a diabetes, neoplasias e doenças cardiovasculares e renais e pela mortalidade associada.

Os dados reforçam a necessidade de aumentar os esforços para a implementação de medidas na área da prevenção e tratamento da obesidade.

Envie este conteúdo a outra pessoa