Estudo: Saúde mental das mulheres em Portugal revela maiores níveis de stress 199

Resultados do estudo ‘Estado de Saúde geral da população portuguesa” divulgados recentemente demonstram uma maior incidência de níveis de stress elevados (com referência aos últimos 6 meses), junto das mulheres (56%) comparativamente com o género masculino, bem como registaram sintomas de ansiedade, ataques de pânico ou depressão com maior prevalência (49%). Estes dados resultam de uma pesquisa feita recentemente em Portugal pela Marktest, para a Medicare, e revelam a importância do tema da saúde mental em particular no género feminino, na semana em que se assinala o Dia Internacional da Mulher.

Do total de inquiridas, 37% revelaram que no último ano sentiram necessidade de procurar ajuda de um profissional de saúde mental e 30% necessitam de tomar algum tipo medicação calmante ou apenas para ajudar a dormir.

Embora cerca de 40% da população portuguesa entre os 18 e os 64 anos afirmem ter sofrido algum sintoma do foro mental nos últimos 12 meses, o equivalente a cerca de 2.354.000 portugueses, apenas 19% foram efetivamente a uma consulta de saúde mental (cerca de 50% dos que revelaram sofrer algum sintoma). No entanto, mais de 70% das mulheres revelaram sentir-se à vontade para falar sobre os seus problemas de saúde mental junto de familiares e/ ou amigos.

No que diz respeito à valorização da saúde mental no local de trabalho, 60% da população portuguesa incluindo mulheres e homens, o equivalente a mais de três milhões de portugueses, consideram que este não é um tema valorizado no seu local de trabalho, sendo esta perceção ainda mais elevada junto daqueles que sentiram necessidade de procurar ajuda de um profissional de saúde mental (65.9%).

A pesquisa para este estudo foi realizada em setembro de 2023 e por isso os resultados obtidos já revelam como se sentem os portugueses relativamente à sua saúde mental no período pós pandemia covid-19.

Envie este conteúdo a outra pessoa