Estudo: 35% dos casos de demência relacionados com estilo de vida 440


21 de julho de 2017

Combater a hipertensão e a obesidade na meia-idade, aumentar a atividade física e controlar a diabetes são comportamentos que podem ajudar na prevenção do aparecimento de demência. Estas são algumas das recomendações publicadas na “The Lancet”, por um grupo de investigadores internacionais que avaliou vários estudos sobre esta patologia e concluiu que 35% dos casos de demência estão relacionados com fatores de risco e por isso podem ser evitados.

«Reduzindo os fatores de risco, o potencial efeito sobre a demência é maior do que podemos imaginar que sejam os efeitos de medicamentos atuais e experimentais», explicou Lon Schneider, membro da Conferência Internacional da Associação Alzheimer 2017, onde o relatório sobre demência foi apresentado.

Parar de fumar, tratar a depressão e aumentar o contacto social numa idade avançada, bem como investir na educação nos primeiros anos de vida e combater a perda de audição são outras medidas preventivas que quando adotadas podem reduzir a incidência de demência, avançou o “Público”.

Em suma, os investigadores acreditam que um em cada três casos de demência pode ser evitado se houver uma revisão do estilo de vida, podendo as mudanças de comportamento serem mais eficazes na prevenção da doença do que os medicamentos.

Envie este conteúdo a outra pessoa