DGS quer estudantes universitários a comerem melhor 0 153

É preciso apoiar os jovens adultos nas suas opções alimentares, numa fase em que estes passam a ser responsáveis pela escolha, compra e confeção dos alimentos, adverte o documento de balanço da Estratégia Integrada Para a Alimentação Saudável (EIPAS).

O grupo de trabalho responsável pela EIPAS apresentou o seu segundo relatório semestral e avançou para a com a intenção de «definição de linhas estratégias para a melhoria da oferta alimentar nas instituições públicas de Ensino Superior». Considera-se que os estudantes universitários «podem ser considerados um grupo de risco para hábitos alimentares desadequados e aumento de peso». Surgem como grupo de de particular interesse, já que esta fase da vida dos portugueses é vista «[como] um período crítico com impacto nos hábitos alimentares dos indivíduos».

Explica-se ainda que: «Este período coincide com um período em que os jovens adultos adquirem maior liberdade e independência, começando a serem responsáveis pela escolha, compra e confeção dos alimentos. Deste modo, a promoção de hábitos alimentares adequados nestes grupos da população é de extrema importância, podendo as instituições do ensino superior ter um papel ativo nesta área».

A EIPAS «pretende contribuir» para esse facto, dando «o apoio técnico necessário para a operacionalização de uma estratégia para a promoção de uma alimentação saudável» nos estabelecimentos de ensino. A criação de uma «proposta estratégica» que parta de uma discussão em torno das boas práticas que já possam existir é a proposta do grupo de trabalho.

O relatório aponta ainda a necessidade de se continuar a promover a dieta Mediterrânica e das medidas que têm sido sugeridas na EIPAS serem implementadas ao nível dos municípios. É recordado ainda que a revisão do Imposto Especial de Consumo Sobre as Bebidas Açucaradas e Adicionadas de Edulcorantes partiu de uma proposta apresentada pelo grupo de trabalho e seguiu as advertências apresentadas. A monitorização da execução das metas definidas para a redução do açúcar, sal e gordura nos produtos alimentares será feita pela empresa Nielsen, em parceria com a Direcção-Geral de Saúde (DGS) e o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.

Coordenada pela DGS, a EIPAS envolve sete ministérios e foi lançada no final de 2017. O grupo de trabalho monitoriza a aplicação das propostas para os quatro grandes eixos em torno dos quais a estratégia se desenvolve.

Envie este conteúdo a outra pessoa