DECO Proteste: apenas 39% dos pais avaliaram positivamente as refeições escolares 1399

Segundo um questionário online, aplicado pela DECO Proteste, apenas 39% dos pais avaliou positivamente as refeições dos filhos nas cantinas escolares. Na prática, segundo o mesmo inquérito, um em cada dez encarregados de educação considera que a ementa das escolas é má.

De um modo geral, os aspetos que mais desagradam aos pais foram a variedade da ementa, a qualidade dos alimentos e a apresentação das refeições. Estes três pontos recebem foram avaliados negativamente por 15% do total de encarregados de educação.

Estas conclusões resultam de um questionário online, endereçado pela DECO Proteste aos encarregados de educação de alunos do ensino público, setor social (IPSS) e privado, que, no último ano letivo, frequentaram a escola entre os 1.º e 12.º anos. As questões foram enviadas entre 10 e 15 de setembro e, no total, obtiveram-se 1.042 respostas válidas.

A satisfação com a ementa da cantina é significativamente menor nas escolas públicas, no que respeita à «variedade da ementa», «qualidade da comida», «quantidade de comida», «apresentação da comida» e «satisfação geral com a ementa».

No ensino público, a percentagem de encarregados de educação que classificam as refeições escolares como más é de 14%, ao passo que nas escolas privadas e no setor social os valores atingem os 3% e os 2%, respetivamente.

Além disso, a proporção de pais com filhos em escolas públicas que se mostra «muito satisfeita» com a ementa fixa-se nos 34%. Segundo a DECO Proteste, um valor muito abaixo daquele que foi obtido nas escolas do setor social, com um total de 72%; e nas instituições de ensino privadas, onde 58% dos encarregados de educação consideram que a ementa escolar está num patamar «elevado».

A diferença entre as escolas públicas e as do setor social e privado é substancialmente superior nas seguintes categorias: «qualidade da comida» e o «tamanho da dose». No primeiro caso, há 17% de encarregados de educação muito insatisfeitos no ensino público, em comparação com os valores registados nas escolas do setor social (2%) e do ensino privado (4 por cento).Em relação à quantidade de comida, esta é chumbada por 13% dos pais com filhos em escolas públicas. Por outro lado, os encarregados de educação das instituições escolares do setor social e do ensino privado não apontam praticamente nenhuma crítica ao tamanho da dose (0% e 1%, respetivamente).

Envie este conteúdo a outra pessoa