“Creche com Sabor e Saúde” divulga resultados da análise da oferta alimentar nas creches 1814

Foram divulgados resultados e orientações advindos do relatório completo do Projeto C2S – Creche com Sabor e Saúde, iniciativa que se propôs a analisar em proximidade a oferta alimentar em contexto de creche. Além de uma definição do atual contexto alimentar das crianças, o objetivo passava por ainda criar ferramentas de apoio adaptadas a essa realidade, algo que, segundo o projeto, será apresentado brevemente.

O Projeto C2S foi cofinanciado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no âmbito do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, e coordenado pela Associação Cultural e Recreativa de Cabreiros (ACRC). O C2S foi constituído por uma equipa com profissionais da área da saúde e nutrição, contando ainda com o suporte técnico-científico da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP) e da Cáritas Diocesana de Coimbra.

Assim, a iniciativa que durou um ano, apresentou como grandes objetivos a caracterização da oferta alimentar em contexto de creche e a capacitação de pessoas envolvidas como os Encarregados de Educação ou cuidadores e profissionais.

Foram aplicadas ferramentas criadas no âmbito do projeto e, depois da análise dos resultados, a equipa responsável deu orientações no sentido de melhorar gradualmente um ambiente alimentar mais saudável e seguro. Após avaliação do efeito das intervenções realizadas através do projeto, foram aplicadas as mesmas ferramentas para conclusão.

Relativamente aos Resultados de Diagnóstico e a título de exemplo, a nível qualitativo, lê-se no relatório que “no que concerne à oferta alimentar dos almoços, verificou-se o défice de oferta de leguminosas (<1x/semana) e de ovo como principal fonte proteica (<2x/mês) dos 9 aos 11 meses vem como a presença de sopa com proteína animal mesmo quando já era oferecido prato completo”. Entre os 12 e os 36 meses denotou-se o “baixo recurso a ovo como principal fonte proteica (<2x/mês), ao peixe gordo (<1x/mês) e a métodos de confeção como ensopados, caldeiradas e jardinagens (<1x/mês)”.

Além de outros dados como o sal na sopa ou capitação oferecida para os alimentos fornecedores de, por exemplo, proteína ou hidratos de carbono, o projeto chegou ainda à conclusão prévia de que existe desde logo um “défice de capitação de hortícolas”. Foi ainda oferecida “fruta em excesso até aos 11 meses” e “no 1.º e 2.º ano de vida, a porção dada ao almoço estava correta se considerarmos que as crianças comem 3 vezes fruta por dia”.

Foram ainda avaliados itens como as condições higiossanitárias e o nível de conhecimentos dos Encarregados de Educação ou cuidadores.

Sobre os Resultados do Efeito da Intervenção do projeto (que incidiu em 18 IPSS), também como exemplo, “em função da aplicação dos itens da ferramenta de avaliação qualitativa de ementas aplicada no início de no final do projeto, verificou-se uma melhoria na percentagem de conformidades na avaliação dos planos de ementas de 15,5%, tendo em conta a avaliação inicial (70,3%) e final (80,7%)”.

Como exemplo das considerações finais do relatório que pode ler na totalidade clicando aqui é referido que “verificou-se que a oferta alimentar dos almoços nem sempre se encontrava de acordo com as recomendações alimentares existentes. Para além disso, os lanches oferecidos são muitas vezes inadequados à faixa etária em questão”. Todas as 18 IPSS apresentaram melhoria a nível dos “resultados pós-intervenção verificou-se uma melhoria global (15,5%) na percentagem de conformidades da avaliação qualitativa dos planos de ementas”.

“Acredita-se ainda que a disseminação deste documento seja uma mais valia para contribuir para a melhoria da oferta de uma alimentação segura, economicamente acessível, adaptada à disponibilidade de alimentos e bebidas existentes a nível local, bem como aos gostos, preferências e necessidades nutricionais das crianças a seu cargo, não descurando, ainda assim, a necessidade de cada instituição ter o apoio de uma equipa multidisciplinar que englobe profissionais da área das ciências da nutrição”, termina o documento do projeto C2S – Creche com Sabor e Saúde.

Envie este conteúdo a outra pessoa