Covid-19: manual com orientações na área da alimentação 0 693

O Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS) da Direção-Geral da Saúde, publicou um manual com Orientações na área da Alimentação, neste tempo de pandemia de covid-19.

Este manual foi criado com o objetivo de responder às várias questões que têm surgido devido ao covid-19, tanto por parte de profissionais de saúde, como da população em geral.

“Existe ainda pouca evidência científica sobre a relação entre a doença por SARS-CoV-2 (covid-19) e a alimentação. Contudo, sabemos que um estado nutricional e de hidratação adequados contribuem, de um modo geral, para um sistema imunitário otimizado e para uma melhor recuperação dos indivíduos em situação de doença. Por outro lado, sabemos que as medidas adotadas para a prevenção da propagação da covid-19, nomeadamente o isolamento preventivo (profilático), poderão contribuir para alterações no comportamento de compra e de consumo de alimentos”, começa por indicar o manual.

O documento começa por esclarecer que “numa situação de isolamento, é importante garantir a disponibilidade de alimentos que permita assegurar as necessidades alimentares por um período mais longo de tempo, sendo a otimização do momento de ida aos supermercados essencial para evitar deslocações frequentes às compras”.

Mas esta tem de ser uma “compra responsável, nas quantidades adequadas e sem exageros será essencial neste período”.

“O açambarcamento de produtos alimentares pode, inclusive, ser um estímulo ao consumo alimentar excessivo e de má qualidade nutricional (principalmente excesso de sal, açúcar e gordura), num período em que estão presentes outros fatores de risco, como por exemplo o sedentarismo e o stresse emociona”, indica o manual.

Para que isso aconteça “antes de ir às compras é essencial fazer um adequado planeamento”. Fazer uma lista de compras só do que é necessário, com a lista de alimentos que precisa para as refeições que vai preparar é uma das ideias deste manual.

Mas no momento da compra também deve ter alguns cuidados, como verificar e cumprir a lista de compras, optar por alimentos com validade mais longa, preferir alimentos de elevado valor nutricional, assim como a aquisição de produtos frescos.

Para além destes cuidados com os alimentos, há que ter precauções também de higiene e segurança de modo a “minimizar o risco de infeção para o próprio e para os outros”.

A lavagem das mãos, as medidas de etiqueta respiratória e de distanciamento social serão sempre as medidas mais importantes para prevenir a propagação da doença do novo coronavírus.

O manual também disponibiliza um “Kit Alimentar para um período de isolamento para 14 dias”, “orientador para os profissionais de saúde e outros profissionais que prestam apoio na área alimentar a pessoas que se encontram em vigilância ativa e cujo isolamento preventivo por um período de 14 dias”

“Este Kit é meramente orientador e poderá ajudar a população a fazer um adequado abastecimento de alimentos para um período mais longo de tempo, comparativamente aquilo que é a frequência habitual de ida às compras na nossa população. Este Kit Alimentar para um período de isolamento de 14 dias, contempla os alimentos a incluir, bem como as respetivas quantidades”, explica o manual.

Este kit foi desenvolvido “tendo em conta as necessidades nutricionais médias diárias estimadas para a população portuguesa (2000 kcal, 20% proteína, 50% hidratos de carbono e 30% lípidos), seguindo tanto quanto possível as recomendações da Roda dos Alimentos. Assim, as quantidades apresentadas são referentes às quantidades necessárias por pessoa e para um período de 14 dias. De acordo com a composição do agregado familiar, estas quantidades devem ser ajustadas”, explica o documento da DGS.

O manual reforça a ideia de que “mesmo durante estes períodos é muito importante manter uma alimentação saudável e equilibrada, reduzindo o consumo energético excessivo e evitando o excesso de açúcar e sal. A leitura de rótulos e o consumo de produtos frescos continuam a ser de grande
importância”.

É também explicado “a que alimentos deve ser dada preferência”, desde o grupo dos cereais e derivados e tubérculos; como dos hortícolas e da fruta; como do da carne, pescado e ovos; como das leguminosas; dos lacticínios e até da água.

O manual disponibiliza também os “6 passos para uma alimentação saudável em tempos de covid-19”, que passam por comer mais fruta e hortícolas, beber mais água, evitar snacks e fazer uma alimentação “completa, variada e equilibrada, seguindo os princípios da Roda dos Alimentos”.

O documento recomenda “a prática de uma alimentação saudável, em particular as orientações presentes no portal Alimentação Saudável da DGS.

Envie este conteúdo a outra pessoa