Comer alimentos cozinhados ou crus não constitui risco de contaminação por covid-19 1041

A ingestão de alimentos cozinhados ou crus não constitui um risco de contaminação pela covid-19, uma vez que “o vírus se transmite por via respiratória e conjuntival, através do contacto entre pessoas”.

Quem o diz é a Direção-Geral da Saúde (DGS) e a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), esta semana reforçado pelo Ministério da Agricultura.

A garantia vem de um esclarecimento após ter sido feita a divulgação de mensagens falsas relacionadas com a segurança alimentar.

“A transmissão do novo coronavírus ocorre por via respiratória e conjuntival, mediante contacto entre pessoas”, não sendo possível a transmissão deste vírus através de alimentos, cozinhados ou crus, alerta o Ministério da Agricultura, num comunicado divulgado.

Contudo, este facto não dispensa as regras gerais de higiene na manipulação dos alimentos.

Esta é uma informação que a DGS já tinha disponibilizado num documento de perguntas e respostas, no qual são citadas as conclusões da Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (EFSA), que revela não existir qualquer tipo de evidência de contaminação através do consumo de alimentos cozinhados ou crus.

Também o Centro Europeu para a Prevenção e Controlo de Doenças indica que a transmissão do vírus “ocorre pessoa a pessoa e por contacto próximo” com infetados pelo vírus ou superfícies e objetos contaminados.

Outra das instituições a defender a mesma orientação é a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

“Tomando em consideração todos os estudos levados a cabo até ao momento, não existe evidência de qualquer tipo de contaminação através da ingestão de comida cozinhada ou crua”, afirma a ASAE.

Portanto, desde que se sigam todas as regras de higiene na manipulação dos alimentos, não há razão para se contrair o coronavírus desta maneira.

Envie este conteúdo a outra pessoa