Chade declara estado de emergência alimentar e nutricional 962

O Presidente de transição do Chade declarou “estado de emergência alimentar e nutricional” em todo o país que, nos últimos dez meses, recebeu cerca de 700 mil refugiados da guerra no vizinho Sudão, informaram esta sexta-feira os jornais locais.

“Foi declarado o estado de emergência alimentar e nutricional em todo o território nacional, a fim de ajudar as populações identificadas como estando em ‘fase de crise’ e em ‘fase de emergência'”, declarou o Presidente, Mahamat Idriss Déby Itno, num decreto datado de quinta-feira e publicado nos meios de comunicação locais, cita a Lusa.

“Durante este período, a assistência humanitária de emergência será utilizada tal como definido pelo Plano Nacional de Resposta”, acrescenta-se no documento presidencial.

O Chade tem recebido refugiados que fogem da guerra do Sudão, que eclodiu em abril e provocou a maior crise de deslocados do mundo, mas os seus recursos já eram escassos.

De acordo com o Banco Mundial, 35,4% da população do Chade vive abaixo do limiar de pobreza extrema, com menos de 2,15 dólares por dia (cerca de dois euros).

O Chade está a viver um processo de transição para restaurar a democracia e regressar ao regime civil, após a morte, em 2021, em combates com rebeldes, do Presidente Idriss Déby Itno, que governava o Chade desde 1991.

Após esse episódio, o filho, atual Presidente de transição, assumiu o poder.

Envie este conteúdo a outra pessoa