99 Kgs de carne de vacas doentes da Polónia apreendidas em Portugal 0 131

31 de janeiro de 2019

Foram apreendidos 99 Kgs de carne de vaca contaminada vinda da Polónia para um operador retalhista em Portugal. O Ministério da Agricultura veio anunciar que já apreendeu o lote de carne contaminada exportada pela Polónia para Portugal e que já foram encaminhados para destruição.

 

Como informação do jornal “Diário de Notícias”, a ação das autoridades portuguesas foi efetuada após a Rede de Alerta Rápido, que integra o sistema de Segurança Alimentar da União Europeia, ter emitido um alerta «dando nota da deteção de um lote de carne de vaca sem condições para entrar na cadeia de consumo, com origem na Polónia, tendo como destino um operador retalhista em Portugal».

 

«As autoridades nacionais desencadearam de imediato todas as diligências, tendo apreendido a totalidade do lote de carne (99 Kg), que foi encaminhado para destruição», informa o Ministério da Agricultura, acrescentando que a Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) já apresentou o relatório da ocorrência às autoridades europeias.

 

O responsável polaco pelos serviços veterinários comunicou hoje que a Polónia exportou 2700 quilos de carne que se suspeita ser de animais doentes, abatidos num matadouro sem condições a 100 kms de Varsóvia. Foram dez os países da União Europeia para onde foi exportada esta carne, entre os quais Portugal. A DGAV reforçou a inspeção nos matadouros portugueses, já que estes funcionam também como armazéns, referiu ao “Diário de Notícias” fonte do Ministério da Agricultura. 

A Polónia é um dos maiores produtores de carne da EU daí o a situação gerar preocupação. Por ano, os polacos produzem cerca de 560 mil toneladas de carne bovina, 85% da qual é exportada.

O comissário europeu da segurança alimentar já alertou os estados-membros para a necessidade de reforço da fiscalização e medidas rápidas. Em comunicado, Vytenis Andriukaitis dirigiu-se também à Polónia: «Exorto as autoridades polacas a concluírem urgentemente as suas investigações, tomando todas as medidas necessárias para garantir o respeito da legislação da UE, incluindo sanções eficazes, rápidas e dissuasivas contra os autores de um comportamento criminoso que representa um risco para a saúde pública e retrata um tratamento inaceitável dos animais».

Envie este conteúdo a outra pessoa