“50 a 75 % dos pacientes com doença hepática avançada desenvolvem desnutrição” 289

No mês da saúde digestiva, e a poucos dias de mais uma edição da Semana Digestiva, o presidente da Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado (APEF), José Presa, alerta para uma dieta que tenha a “quantidade ideal de nutrientes” para combater a desnutrição associada à Cirrose Hepática Descompensada. Para o especialista, “é importante que se realizem cinco a sete refeições diárias de baixo volume”.

Caracterizada pela morte das células do fígado, aparecimento de cicatrizes (fibrose) e pela alteração da sua estrutura, a cirrose hepática pode ser causada por variados fatores, entre os quais a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas, a hepatite C e/ou B provocada por vírus, o excesso de gordura no fígado e ainda doenças autoimunes e metabólicas. Com duas fases, compensada e descompensada, a segunda apresenta maior gravidade, surgindo sintomas e complicações, explica o Centro de Contactos do Serviço Nacional de Saúde.

Em comunicado às redações, José Presa lembra que “50 a 75 % dos pacientes com doença hepática avançada desenvolvem desnutrição” e explica que, “apesar de esta doença apenas ter cura através da realização de um transplante de fígado, caso seja identificada precocemente e tratada de forma adequada, a sua evolução pode ser atrasada”. Habitualmente acompanhada pela perda de peso, uma alimentação equilibrada “é fundamental”.

O presidente da APEF defende que, de forma a otimizar o estado nutricional do doente, “devem ser consumidas frutas, vegetais, cereais integrais e carnes baixas em gorduras, já que estes alimentos têm vários nutrientes e são de fácil digestão, não exigindo muito trabalho por parte do fígado para que sejam metabolizados”. José Presa destaca a inclusão de “carboidratos complexos, gorduras boas e proteínas de alto valor biológico na dieta alimentar”, assim como “peixe, ovos, carnes brancas baixas em gordura e queijos baixos em sal e gordura”.

Em sentido contrário, o especialista pede que se evite alguns alimentos: “carnes vermelhas, laticínios integrais, enlatados e fast food. O consumo de bebidas alcoólicas também deve ser reduzido, visto que piora a condição do doente”. Desta forma, “torna-se mais fácil controlar a cirrose hepática, conclui.

José Presa será um dos presidentes responsáveis pelos debates que marcam a edição deste ano da Semana Digestiva, que acontece no Pavilhão Rosa Mota, no Porto, de 22 a 25 de junho. Ao lado dos moderadores Isabel Pedroto e Fátima Serejo, debate no dia 23 os “Novos Horizontes da Doença Hepática” e discute novos conceitos de estratificação de risco na doença hepática crónica ou a Hepatite Delta. Aceda ao programa completo.

WordPress Ads
Envie este conteúdo a outra pessoa