2019 vai ser «o ano do veganismo», diz o “The Economist” 0 260

28 de janeiro de 2019

O veganismo vai ganhar expressão em 2019, prevê a revista inglesa “The Economist” numa edição especial que antecipa as tendências para o novo ano. A previsão resulta dos dados estatísticos de vários países que indicam que, em maior ou menor proporção, o número de pessoas que seguem dietas de base vegetal está a aumentar na Europa e América do Norte. «Portugal não é exceção», como avança a Associação Vegetariana Portuguesa (AVP). 

 

A publicação inglesa que avança com esta tendência defende que os vegans deixarão de ser uma minoria, como se assistiu nos últimos 50 anos e ganhará popularidade, refere o site da ON. A nível nacional, os dados mais recentes recolhidos pelo Centro Vegetariano revelam que 120 mil portugueses são vegetarianos, número que quadruplicou numa década e 60 mil são vegans, um número que duplicou em relação a 2007. 

O estudo sugere também que o «consumo frequente de carne e peixe parece ter reduzido, ainda que ligeiramente, na última década». Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), cada português consome em média 114 quilos de carne por ano e são os que consomem mais peixe na Europa, com um consumo anual per capita de 55 quilos. Como referido no site da ON, o comércio de produtos vegetarianos e vegan está, de facto, a aumentar, inclusive entre as grandes cadeias alimentares – e de fast-food. Em Portugal, o número de lojas e restaurantes especializados neste tipo de cozinha aumentou 514% entre 2008 e 2018. A AVP salienta também o aumento da oferta destes produtos nas grandes superfícies, «onde há algumas décadas seria inconcebível encontrar a diversidade de produtos que existem hoje», e dos «eventos ligados com este estilo de vida», como festivais, congressos e cursos de culinária.

 

Quanto às políticas dos governos perante estas dietas, recorda-se que o Parlamento Português aprovou em 2017 uma lei que obriga as cantinas e refeitórios públicos a fornecer uma opção vegetariana. Já o Parlamento Europeu anunciou que irá debater este ano a definição legal de “vegetariano” e “vegan” de forma a regulamentar este mercado.

Envie este conteúdo a outra pessoa