Startup de nutrição portuguesa recebe 3 milhões 0 243

A Kencko, “startup” criada por dois portugueses para incentivar o consumo diário de vegetais e frutas através de saquetas em pó anunciou ter recebido um investimento de três milhões de euros.

Para a empresa, este dinheiro vai servir para financiar a transformação das saquetas que contêm os batidos em pó de recicláveis para compostáveis.

A Kencko utiliza um método similar à tecnologia que permite à NASA enviar alimentos para o espaço, congelando e desidratando vegetais e frutas biológicas sem perda de nutrientes nem necessidade de aditivos.

Os sabores têm cinco ou seis ingredientes, e o consumidor pode juntar água ou leite. São compostas por vegetais e frutas vindos de várias partes do mundo, o embalamento é feito na Alemanha e as caixas de cartão são produzidas em Portugal, de onde seguem para os Estados Unidos.

O modelo de negócio da kencko baseia-se em subscrições online, com a entrega de caixas de 20 saquetas a cada 4 semanas por 60 dólares. O consumidor pode optar por outra periodicidade e a primeira caixa inclui uma garrafa reutilizável para beber os batidos.

O investimento de 3,4 milhões conta com empresas como a NextView Ventures, a LocalGlobe, a Kairos Ventures, a Techstars, a Max Ventures e vários executivos da Danone.

A empresa foi fundada em 2018, por Ricardo Vice Santos e Tomás Froes, tem sede em Nova Iorque e escritório em Lisboa, e conta com 20 funcionários.

Envie este conteúdo a outra pessoa