Se aumentou de peso nos últimos anos o stress pode ser o motivo 1361

Altos níveis de stress e ansiedade alteram o estilo de vida e estimulam comportamentos que afetam a nossa saúde, incluindo o aumento de marcadores inflamatórios. Não é surpresa para ninguém que os anos de pandemia foram desafiantes e mudaram as nossas vidas de várias maneiras. Os níveis de stress e ansiedade aumentaram, assim como as taxas de excesso de peso e obesidade.

Como se explica essa relação entre o stress, a ansiedade e o aumento de peso? Para isso, é importante entender separadamente o que cada um significa, principalmente os termos que mais se confundem: stress e ansiedade.

O que é stress e ansiedade?
O stress é a reação do corpo a uma ameaça reconhecida e, portanto, a ansiedade é a resposta do corpo ao stress. A principal diferença é que o stress ocorre a curto prazo, enquanto a ansiedade pode perdurar ao longo do tempo. Além disso, a ansiedade pode não ter um gatilho identificável.

• Sintomas de stress: mau humor, irritabilidade, raiva, tonturas, náuseas, pensamentos negativos, infelicidade geral e sensação de sobrecarga.
• Sintomas de ansiedade: Inquietação, tensão, nervosismo, sensação de inquietação ou medo.
• Sintomas comuns: batimentos cardíacos acelerados, respiração acelerada, diarreia ou prisão de ventre.

Ansiedade e stress podem refletir-se num aumento de peso?
Como o stress e a ansiedade geram uma sensação de mal-estar geral no nosso corpo, algumas pessoas recorrem à comida como veículo de descarga emocional.

Um estudo mostrou que os alimentos que possuem maior concentração de açúcar são os que proporcionam maior satisfação ou prazer. Desta forma, o nosso corpo tende a consumi-los se estiver stressado e/ou ansioso. Isso junta-se ao facto de que o stress e/ou a ansiedade promovem uma ingestão excessiva de alimentos, tornando-os mais apetitosos e menos satisfatórios, alterando a nossa dieta, referem os cientistas¹.

Qual seria a causa?
A relação entre o stress, a ansiedade e a alimentação pode ocorrer principalmente pela velocidade com que vivemos hoje, afetando diversas áreas, inclusive a forma como nos alimentamos, refletindo-se em determinados comportamentos, como comer muito rápido, não tomar o pequeno almoço ou apenas tomar um café, comer grandes quantidades ao jantar, entre outros hábitos alimentares também culturalmente promovidos pela sociedade em que vivemos.

As necessidades nutricionais são atendidas inadequadamente do ponto de vista calórico e nutricional. Além disso, existem maus hábitos e conhecimentos errados em relação à alimentação.

Por isso, a PronoKal propõe algumas orientações que ajudam a fugir ao stress:

Recomendações dietéticas:

✓ 2 litros de água por dia
Mantenha uma hidratação correta bebendo 2 litros por dia. Assim evitará sentir-se exausto, fraco ou tonto; e vai melhorar o desempenho físico e mental.

✓ 5 a 6 refeições diárias
Comer regularmente a cada 3 ou 4 horas e manter determinados horários, favorece o controlo da saciedade. Tente distribuir a sua alimentação em 5 ou 6 doses diárias.

✓ Consumo de frutas e vegetais
Frutas e legumes, essenciais para neutralizar os efeitos do stress, são uma excelente fonte de fibras, vitaminas e minerais.

✓ Consumo de grãos integrais e leguminosas
Escolha carboidratos de baixo índice glicémico, como grãos integrais e legumes. Eles reduzem a ansiedade e os desejos ao longo do dia. Além de ajudarem a melhorar o nosso humor, graças ao seu alto teor de triptofano.

✓Dha Vita
Formado por ácidos gordos essenciais, ajuda a reduzir a inflamação causada pelo stress e melhora a qualidade do sono.

✓ Simbióticos
O stress altera seriamente a flora bacteriana do nosso organismo. Nutrir a flora intestinal com bactérias amigas é importante para o bom funcionamento do nosso corpo e ajuda no bem-estar psicológico.

✓ Controle o consumo de determinados alimentos
Alimentos a evitar ou reduzir em situações de stress: cafeína, bebidas estimulantes, gorduras saturadas e açúcares refinados.

O café juntamente com bebidas estimulantes em grandes doses causa inquietação, nervosismo e insónia. Em momentos de stress é comum recorrer a alimentos calóricos, ricos em açúcares refinados e gorduras. Isso leva a uma alimentação inadequada que, a longo prazo, pode causar problemas de excesso de peso e obesidade.

¹ https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0031938407001278

Envie este conteúdo a outra pessoa